Sobre os assentamentos de batismos (nascimentos) antes de 1911

15791011

Comentários

  • @Guilherme Moreira

    Sim , solicitei de acordo com este link.

    Obrigada

  • Rod26Rod26 Member

    Pessoal, ja solicitei os assentamentos de batismo há 2 dias. O arquivo distrital envia um código de rastreio ou não? Pergunto pois solicitei com Correio registado com aviso de receção, mas não foi me oferecido nenhum código.

  • guimossguimoss Member

    @Rod26

    Como vc fez o pedido por correio registado com aviso de Receção, há um código de rastreio.

    Vc pode acompanhar o pedido pelos correios do BR ou de PT.

    Mande um email, pedindo.

  • Rod26Rod26 Member

    @guimoss mandarei email entao. Obrigado.

  • Boa tarde a todos!

    Como proceder quando o registro de batismo está danificado?

    Olhem esse registro do tio de uma amiga. Ele foi batizado no dia 01/01/1911, registro nº 3, nas primeiras páginas do livro.

    Devido ao manuseio, a parte inferior direita da página ficou dilacerada. No verso da página é possível verificar o nome dos avós do batizado.

    Nas últimas páginas do livro existe o índice alfabético, que também ficou prejudicado pela mesma situação.

    O que fazer?


  • guimossguimoss Member

    @SABarreira

    Esse é um caso complicado, pois só dá para ver a parte dos avós.

    Eu tentaria dois caminhos:

    1) Mostar o casamento (se nao tiver divergência), com a data certa provando que é o mesmo registro.

    2) Buscar o passaporte e pedir o processo de emissão do mesmo (pode ser impresso pela Internet), onde geralmente tem o batismo averbado.

    Um batismo com informações de possível leitura.

    Boa Sorte!

  • LeticialeleLeticialele Member, Moderator

    @SABarreira , peça o assento certificado ao Arquivo Distrital. Eles podem ter acesso ao duplicado.

  • lucas21lucas21 Member

    @SABarreira entre em contato com o Arquivo Distrital e peça informações sobre serviço de tratamento e restauro, se não me engano tem um custo de 40 Euros por hora trabalhada.

    Alguns meses atras pedi uma reprodução digital de um casamento dos meus trisavós, eu sei que é diferente do seu caso, mas acredite, o registo no livro estava ilegível em diversas partes, o trabalho dos caras foram exemplares, deram vida ao papel, retocaram tudo.

    Outra dica, olha esse email que recebi:

    “Caríssimo Lucas,

     Tal como lhe foi indicado, apenas dispomos do livro em duplicado, no entanto, se pretender, poderemos emitir a certidão.

     Com os melhores cumprimentos,

    Técnico de Arquivo do Museu Diocesano de Lamego”

    Primeiro, se esse livro você pegou nos arquivos, não necessariamente é o original, pela data 1911 pode ser uma cópia, e o original estar ainda na conservatória, no meu caso foi exatamente isso, no arquivo tinha uma copia, como o original ainda estava na conservatória, pedi pelo civil online e consegui minha certidão certificada. O ano da minha busca foi 1910.

    outro email confirmando o que falei:

    Exmo. Sr: 

    O Código de Referência indicado respeita a um livro de duplicados existente no Arquivo e Museu Diocesano de Lamego (AMDL) cujo original se encontra na Conservatória do Registo Civil de Cinfães, para onde devem dirigir o pedido. 

    Com os meus cumprimentos,

    Diretora

  • @guimoss @Leticialele @lucas21

    Muito obrigado! Vocês são fantásticos!

    Vou passar essas orientações à minha amiga.

  • @Leticialele Depois de muito procurar encontrei o "registo" de batismo do bisavó da minha cunhada (sendo o pai dela -neto -vivo) e estou auxiliando a família dela para tirar a cidadania. A certidão é de 11 de novembro de 1877 da "parochia" de Nossa Senhora da Piedade, no Concelho de Lajes do Pico, Diocese de Angra. Não entendi muito bem a sistemática do pedido de certidões na região autônoma dos Açores. Existem três bibliotecas que teriam a responsabilidade correspondente aos arquivos distritais. Pelo que eu vi, os arquivos da ilha do pico estaria ligada a biblioteca da horta na Ilha do faial em açores, só que eu não acho nenhum e-mail específico para requerer a certidão na biblioteca da horta. O modo de pedido está bem delimitado para a biblioteca de ponta delgada (responsável pelas ilhas de São Miguel e Santa Maria). Você saberia qual seria a biblioteca responsável por autenticar o registo paroquial de batismo da Ilha do Pico nos Açores e por qual e-mail pedir? A metodologia seria a mesma do que entendi para Ponta Delgada? Você manda o e-mail, espera eles responderem e depois faz o pagamento - pelo que entendi por vale postal?

  • LeticialeleLeticialele Member, Moderator

    @Damasceno_de_Castro , mande um email para eles, perguntando qual deve ser o procedimento - bpar.horta.info@azores.gov.pt

  • Bom dia !

    Estou a procura da certidao de meu bisavo.

    Nome Antonio da Costa Santos - Data provavel de nascimento 12/11 de 1877

    Filiaçao : Bernardino da Costa Santos e Marianna Augusta Santos

    Sei que é de Traz dos montes , mas nao tenho mais informações

    Se alguem puder ajudar agradeço

  • LeticialeleLeticialele Member, Moderator

    @Julio Cesar Duarte

    Os pais, Bernardino e Marianna Augusta, se casaram na Freguesia de Alcafache, Concelho de Mangualde, Distrito de Viseu, em 10 de fevereiro de 1877 - https://digitarq.advis.arquivos.pt/viewer?id=1056763 m0154.tif, assento número 4

    Infelizmente, há uma lacuna nos assentos dessa Freguesia, de 1876 a 1885. - https://tombo.pt/f/mgl02

    Terá que pedir pesquisa ao AD de Viseu.

  • Assento no. 31, de 1877, Freguesia de Alcafache, Concelho de Mangualde, Distrito de Viseu (tif 53):

    https://digitarq.advis.arquivos.pt/viewer?id=1209631

  • LeticialeleLeticialele Member, Moderator
    editado July 5

    @Guilherme Moreira , não vi esse ano no tombo.pt!

    @Julio Cesar Duarte , o Guilherme encontrou o assento do seu bisavô!!

    Peça a cópia certificada - https://forum.cidadaniaportuguesa.com/discussion/17071/roteiro-para-solicitar-certidoes-nos-arquivos-distritais/p1

  • @Leticialele

    Está nos livros mistos.

  • @Leticialele obrigado, vou enviar agora.

  • rone2022rone2022 Member

    eu também, Nome Manoel Augusto da Cunha - nascimento 06/03 de 1891

    Filiaçao : Francisco José da Cunha e Rosa de Souza

  • Roberta_URoberta_U Member

    Estou abismada com como localizam certidões!

    Estou tentando ajudar uma amiga, mas tenho dificuldade em localizar certidoes portuguesas. Achei os batismos brasileiros dos filhos, óbito da portuguesa no Brasil, mas empaco nos assentos de casamento e nascimento portugueses.

    Alguem pode me dar uma luz? @Guilherme Moreira e @CarlosASP conseguem achar tudo… quem sabe?

    Manoel e Carmen teriam se casado em Portugal, acredita-se que por volta de 1911, mas não se sabe o local. Ela seria de Viseu, ele de Trás-os-Montes. As informações que consegui nos batismos brasileiros dos filhos são:

    Manoel Mathias, nascido em 1893 em Portugal, filho de José Mathias e de Maria Ribeiro dos Santos

    Carmen Gomes dos Santos, nascida em 1893 ou 1894 em Portugal, falecida em 25/12/1982 (8ª circunscrição – RJ – livr. 450 - fls. 37-v - reg, 40735),  filha de José Agostinho e de Amelia Gomes dos Santos

    Sao os bisavós da minha amiga, não temos nenhum documento português deles pra dar entrada na cidadania da mãe dela….

    Desde já, muito obrigada!

  • LeticialeleLeticialele Member, Moderator

    @Roberta_U

    Manoel - https://digitarq.advis.arquivos.pt/viewer?id=1056503 m0010.tif

    Freguesia deLeomil, Moimenta da Beira, Viseu.

  • @Roberta_U

    O nome da bisavó é CARMINA - assento no. 37, ano 1892, freguesia de São Cosmado, concelho de Armamar, distrito de Viseu.

    https://digitarq.advis.arquivos.pt/viewer?id=1053019 tif 58

    https://forum.cidadaniaportuguesa.com/discussion/17071/roteiro-para-solicitar-certidoes-nos-arquivos-distritais/p1

    O casamento foi em Julho de 1911, em Armamar. Peça no civilonline.

    https://forum.cidadaniaportuguesa.com/discussion/10973/como-solicitar-certidoes-pelo-civilonline-guia/p1

  • Roberta_URoberta_U Member

    @Leticialele e @Guilherme Moreira, muitíssimo obrigada! Queria muito aprender a localizar certidões assim...

    Mas a divergência no nome (Carmen e Carmina) significa que será necessário retificar certidões, certo?

  • Roberta_URoberta_U Member

    Descobri que no assento do filho do português está Carmina mesmo! Vou conferir o da neta!

    Mas a idade está errada: o português "remoçou" a si mesmo uns 2 anos, e deve ter "remoçado" a esposa também. Tem problema?

  • guimossguimoss Member

    @Roberta_U

    A questão da idade é possível passar, mas não acredito que passe.

    Vc já fez um apostilamento em PT, se n me engano.

    Peça a sua amiga para verificar os requisitos no cartório.

    Caso precise, mande direto do AD para a PGR de Coimbra ou Lisboa.

    Recomendo a de Lisboa.

    Abraços

  • Roberta_URoberta_U Member

    @guimoss, boa noite....

    Sim, apostilei em Lisboa e foi bem tranquilo. Mas os requisitos que você me recomendou ver no cartorio seriam pra retificação administrativa aqui no Brasil?

    Acabei de confirmar: no assento de nascimento do filho brasileiro, o pai português declarou a idade dele e da mãe portuguesa como se fossem 2 anos mais novos do que realmente eram.

    E outra: no casamento portugues, a noiva é CARMINA GOMES; no assento brasileiro do filho, ela é CARMINA GOMES DOS SANTOS. Esse "dos Santos" é da avó materna dela (que era Victoria dos Santos), mas não foi incluído por ocasião do casamento. Não entendi como aqui no Brasil ela incluiu o Santos.

    Vou ter que retificar idades e nome da mãe portuguesa então, para poder dar entrada no pedido de nacionalidade?

  • guimossguimoss Member

    @Roberta_U

    Sim, são os requisitos do cartório.

    Geralmente, é o apostilamento em PT e levar o assento apostilado no RTD no Brasil.

    Mas, é bom verificar.

    A divergência do "dos santos" pode ser que passe, pois a origem pode ser verificada em outras certidões.

    Pelo que eu disse antes e pelo conjunto da obra, eu retificaria.

    Mas cabe a você e à sua amiga decidirem.

    Obs: Se vc puder compartilhar o seu relato do apostilamento lá no tópico da apostila, o fórum agradeceria.

    Abraços

  • Roberta_URoberta_U Member

    @guimoss,

    Sobre a retificação administrativa, é assim mesmo como você falou, a legalização dos documentos é exigida dessa forma. Mas tem alguns cartórios que são bem chatos, tem casos em que pedem que façamos judicialmente.... então sempre que tem que retificar eu já tremo.

    Já compartilhei no tópico apropriado o relato do apostilamento, mas se tiver faltando algo, só falar e eu complemento: https://forum.cidadaniaportuguesa.com/discussion/comment/269100#Comment_269100


    Sobre a retificação da idade e nome, a @Leticialele citou dois casos que seriam como o meu, entendendo que não seria o caso de retificação:

    1) https://forum.cidadaniaportuguesa.com/discussion/comment/288081#Comment_288081 - na certidão de nascimento do brasileiro não constam as datas de nascimento do pai e da mãe portugueses, mas apenas a idade declarada deles


    2) https://forum.cidadaniaportuguesa.com/discussion/comment/289179#Comment_289179 - como a portuguesa, no Brasil, adicionou o apelido da avó dela, não seria preciso retificar.


    Desculpem o tamanho das imagens, coloquei só para ficar mais claro.

    Melhor retificar ambos então? (Socorro...rs)

  • LeticialeleLeticialele Member, Moderator

    @Roberta_U , eu só retificaria se houvesse exigência.

  • guimossguimoss Member

    @Roberta_U

    O relato esta completo.

    Obrigado.

    ===

    Sobre a retificação, eu concordo com a @Leticialele .

    É sempre bom evitar retificações possivelmente desnecessárias.

    E se o processo cair em exigência, onde dão um prazo curto de retificação (que não é feita de forma rápida aqui no BR), vc pode enviar uma comunicação, informando que a exigência (as retificações) está fase de ser cumprida.

    Só tome o cuidado de não deixar de fazer uma comunicação por 6 meses, já que após esse prazo, o processo é extinto por falta de manifestação do Requerente.

    Boa sorte no caminho que vc adotar.

Entre ou Registre-se para fazer um comentário.