Para quem pretende morar em Portugal e levar a família

1356725

Comentários

  • @caiodib e @Vanessa Rodrigues Pinto

    Obrigado pelas respostas! Mas vocês saberiam me dizer esse banco, o Banco Millenium BCP, permiti eu abrir uma conta lá em PT estando aqui no BR?

    Abraços a todos,
    Marcelo & Gláucia
  • @Marcelo sim, é como o @Caio complementou o banco tem 2 endereços no Brasil. Que servem pra isso, abrir conta lá estando aqui. Se você não tiver NIF eles emitem um provisório (que só serve pra isso) é quando você chegar em PT você troca o provisório pro definitivo e altera na conta. Mas sua conta já vai estar lá com o $$ que você transferiu.
  • @caiodib e @Vanessa Rodrigues Pinto,

    Muito obrigado pelas respostas. Vou procurar o escritório do Banco Millenium BCP no RJ.

    Abraços a todos,
    Marcelo & Gláucia
  • Procure agendar antes de ir para ser bem atendida. Eu fui sem agendar e fui atendido sem muita paciência da atendente que me pediu para não deixar de agendar quando retornasse.
  • Bom dia,

    Estou com uma dúvida.

    Segue um descritivo da minha situação para que a dúvida seja esclarecida.

    Tenho uma filha de 08 anos que tem cidadania portuguesa, via avô materno. Me divorciei do pai dela logo, não tenho cidadania.

    Me casei novamente e tenho um segundo filho de 05 anos.

    DÚVIDA
    Queremos nos mudar para Portugal para que minha filha, cidadã, tenha sua formação acadêmica seja em Portugal.

    Diante disso queria saber se podemos ter o visto de permanência de alguma forma? A opção via Reagrupamento familiar, onde ela depende de mim (código civil) por ser de menor, seria uma possibilidade?

    Já agradeço desde já, pois as informações disponibilizadas aqui são de uma riqueza imensurável.

    Att
  • @Priscilla Carvalho, seu caso é um bocadinho complicado, não por si, mesmo porque sua filha depende de seus cuidados, e terá autorização para residir em Portugal, e após 6 anos de residência legal, poderá pedir sua naturalização por tempo de residência.
    A situação complicada fica por conta de seu marido, o qual não é pai de sua filha portuguesa. Isso correrá de forma discricionária por parte do SEF, e espero que mesmo não sendo pai biológico dela, mas seu cônjuge, seja considerado como família. Se um dos dois fosse nacional português, seria mais fácil.
    Sugiro que tente um contato com os órgãos competentes em Portugal para que sua situação possa ser melhor vista por eles.
  • MarciaMarcia Member, Moderator
    @Priscilla Carvalho,

    se sua filha obteve a cidadania pelo avô materno, ou seja seu pai, você poderia obter também, por atribuição.
    Ou você quis dizer avô paterno?
  • Boa noite.
    Gostaria de saber se existe um tempo mínimo de casamento para poder solicitar o reagrupamento familiar para o conjuge?
  • MarciaMarcia Member, Moderator
    @Carolina Cavalheiro,

    não existe tempo mínimo.
  • Boa noite pessoal.
    Gostaria de um esclarecimento por favor. Meus pais eram portugueses assim como meus irmãos, sou a única que nasceu no Brasil. Requisitei minha nacionalidade por atribuição em Ovar via correio. Pretendo ir morar em Portugal no final do ano em Dezembro. Minhas duas filhas maiores de idade irão comigo. Mas elas são minhas dependentes e assim que chegar lá entrarei com o pedido de atribuição para elas. Se o pedido passar de três meses poderei solicitar o agrupamento familiar? Para evitar que elas voltem para cá. Obrigada
  • @Maria da Gloria, poderá solicitar o reagrupamento familiar para suas filhas, desde que consiga comprovar esta dependência, e para além disso, caso sejam maiores de 21 anos, elas precisariam estar matriculadas em instituição de ensino portuguesa.
  • Obrigada caiodib.
  • Olá! Achei muito interessante este tópico e gostaria de tirar uma dúvida.

    Pretendo me mudar no final do ano para Portugal e irei com meu marido. Eu tenho a cidadania portuguesa, mas meu marido não tem, então no caso ele iria como turista. Se não houver como dar entrada neste pedido de reagrupamento estando aqui no Brasil ainda, gostaria de saber se assim que chegarmos lá posso dar a entrada nesse pedido de reagrupamento para que ele não fique sem trabalhar ou se consigo somente depois que expirarem os 90 dias do visto de turista.

    Agradeço a orientação!
  • MarciaMarcia Member, Moderator
    @Carla A Batista,

    Veja logo na primeira postagem deste tópico:
    "O pedido deve ser apresentado junto ao SEF mais próximo de sua residência 30 dias após passados os 3 meses da entrada em Portugal, mediante agendamento prévio. As marcações podem ser feitas, todos os dias úteis, das 09:00 às 17:30 horas, através dos telefones 808 202 653 (fixo) ou 808 962 690 (celular) e será informado o local, dia/hora da sua marcação."
  • Obrigada, Marcia! A maior dúvida era se eu com cidadania poderia dar entrada nesse pedido para meu marido assim que chegássemos, sem precisar esperar terminar o visto de turista! Já consegui a resposta, muito obrigada!
  • ppessoappessoa Member
    @MARCIA

    Desculpa se estou sendo um pouco repetitivo quanto as dúvidas já apresentadas. Mesmo lendo todos os tópicos, acaba que ficamos com dúvidas no processo.
    Sou brasileiro, tenho dupla cidadania, estou me casando no civil no Brasil neste mês e já verifiquei os passos junto ao consulado para transcrição do casamento. Acho que até este ponto não temos dúvida.
    Iremos nos mudar para Portugal em outubro deste ano, e farei a solicitação do cartão de residência para minha esposa que é brasileira. Entendi que só poderemos fazer a solicitação a partir de 90 dias de estada em Portugal através da solicitação de reagrupamento familiar, e a partir de agora que começam minhas dúvidas:
    1) Qual o prazo total para regularização da minha esposa em Portugal?
    2) É necessário que minha esposa tenha NIF para o reagrupamento familiar? A partir de quando ela pode tirar?
    3) Ela poderá solicitar Cartão do Cidadão?
    4) Para entrada em Portugal, será necessário que ela emita passagem de ida e volta?

    Obrigado
  • caiodibcaiodib Member
    @ppessoa, respondendo suas dúvidas:
    1 – Vai depender de para onde for. O prazo é muito impreciso.
    2 – Não é necessário ter. Quando o reagrupamento for deferido, ela poderá emitir cartão de residente, NIF, Segurança Social, e utente de saúde, e passará a ter todos os direitos, como estudar e trabalhar.
    3 – Cartão de residente, conforme resposta anterior.
    4 – Se for sem visto para reagrupamento familiar, ela terá de comprar passagem de volta. Existe este visto específico para fins de reagrupamento familiar: https://www.portaldocidadao.pt/web/direcao-geral-dos-assuntos-consulares-e-das-comunidades-portuguesas/visto-de-residencia-para-reagrupamento-familiar Veja no Consulado de sua região.
  • Contribuição do forista Marcelo Alves. Achei muito interessante...

  • caiodibcaiodib Member
    @Theresa Lima, não só este vídeo, mas o canal em si tem muita informação interessante.
    Grande ajuda.
  • @Carla e qual a resposta? Precisa esperar o visto de turista acabar para pedir o reagrupamento?
  • Assitam a este canal e principalmente a este vídeo:
  • Outra coisa que ninguém fala é da Igualdade de direitos. Vejam o vídeo acima que é muito importante.
  • Bom dia, pessoal! Encontrei esse tópico hoje e consegui esclarecer algumas dúvidas a respeito do assunto, porém algumas outras me surgiram.
    Estou pesquisando tudo, pois pretendo adquirir minha nacionalidade portuguesa (o processo de atribuição do meu pai está em fase final) e ano que vem morar em Portugal junto com meu marido.
    Ainda não tinha lido a respeito deste visto específico para fins de reagrupamento familiar, que foi citado pelo @caiodib . Sobre isso, esse visto daria direito ao conjuge trabalhar legalmente mesmo antes dos 90 dias e da autorização do SEF? Valeria a pena investir neste tipo de visto?
    Vejo muitos relatos de pessoas que já estão em Portugal e só tem conseguido agendamento no SEF meses depois, ainda assim precisamos aguardar os 120 dias da entrada no país para realizar esse agendamento ou podemos agendar logo assim que chegarmos, desde que a data do agendamento seja após esses 120 dias?

    Desculpem-me tantas perguntas e desde já agradeço a colaboração de todos.
  • @Bárbara Loureiro, creio que vale muito apena fazer o visto para fins de reagrupamento familiar, pois isto evita que o solicitante tenha de comprar uma passagem de volta.
    O solicitante poderá trabalhar assim que o cartão de residência for feito, o que acontece após todos os trâmites. Tem lugares que demoram um pouco mais para conseguir agendar.
    Não sei informar quanto ao prazo, mas penso que ao entrar com o visto, já poderá agendar.
  • @caiodib entrei no site do Consulado do Rio e não vi nada a respeito deste visto. Vou tentar enviar um email pra obter maiores informações! Obrigada!!
  • oi, boa noite, estou na mesma situação, acabei de receber meu assento como portuguesa por atribuição, milhares de dúvidas surgiram, tenho que fazer a transcrição do meu primeiro casamento para tirar a nacionalidade dos meus filhos, pois são do meu primeiro casamento e eu não fui a declarante na certidão, depois tenho tirar a nacionalidade deles por atribuição, depois posso tirar o CC e o passaporte português que somente pelo consulado, não pode ser feito direto com Portugal? vou morar definitivamente em Portugal ( Lisboa) com meus filhos e com marido (segundo casamento) posso pedir visto para morar lá sem ter ainda um emprego ou curso? meus filhos sendo portugueses podem ir ou tem alguma burocracia para não ser considerado seguestro? Meu marido irá depois, como conseguir um visto reagrupamento familiar? lembrando que ainda não terei feito o divórcio em Portugal e por tanto não teria também transcrito o nosso casamento. Pretendo dar entrada em Portugal no divórcio, depois de um tempo, pois tem que ter advogado? Li algo que não sei se procede, de uma lei para Portugueses se separarem sem pagar advogado, para quem se separou em comum acordo..(mútuo consentimento)
    por favor alguém sabe me responder, dezembro está chegando, não quero ir ilegal, nem ter gastos com advogados pois estou desempregada, vou para Portugal porque tenho esperança de vida melhor, sou formada em comunicação social e li que essa profissão está em alta por lá e que Lisboa e Porto são os melhores locais para esses profissionais, e só tenho parentes no interior ( grande parte da família da minha mãe) mas tenho uma amiga ilegal a 6 anos em Lisboa Amadora, casada com um português porem ele ainda está no processo de divórcio do primeiro casamento e ela tem uma filha (portuguesa) de quatro anos dessa união. Ela que está tentando me ajudar e me receber... como proceder...
    grata
  • caiodibcaiodib Member
    editado July 2017
    @Rita de Cássia, uau! Que muralha de texto :/ Vamos as respostas:

    1º terá de transcrever seu primeiro casamento para atribuir os filhos.

    2º Se for fazer os documentos em Portugal, terá de entrar como turista e com passagem de volta comprada, mesmo que não vá usá-la.

    3º não precisa de visto para sua moradia, visto que é seu país, e que é nacional portuguesa.

    4º Se seus filhos forem menores de idade, precisará de uma autorização para que eles deixem o Brasil. Eles poderão entrar em Portugal sendo portugueses sem problemas.

    5º terá de realizar o divórcio, e a transcrição do segundo casamento para que seu marido possa usufruir do reagrupamento familiar.

    6º a separação em comum acordo pode ser feita caso os dois estejam presentes em uma Conservatória, e realizem a separação.

    7º esta área é bem carenciada por lá, e pagam um bom valor para os profissionais;

    8º independentemente para onde for, poderá buscar emprego e qualidade de vida. Emprego pode demorar um pouco e ser complicadinho, mas a qualidade de vida poderá ser usufruída desde o primeiro dia.

    9º para ajudar com o emprego, dê uma afinada no inglês, e aprenda as diferenças entre os portugueses. Um outro idioma como francês ou alemão é um grande plus.

    Espero não ter deixado passar nada, e ter ajudado.
  • Pessoal, bom dia.

    Vou compartilhar minha experiência:

    - em 17/01 cheguei em Lisboa, com minha esposa (naturalizada) e meus dois filhos;
    - em fevereiro agendei por telefone no SEF o reagrupamento familiar. A data agendada foi 11/07, ou seja, 5 meses pra frente;
    - agora no dia 11/07 estive no SEF com minha esposa e meus filhos (todos precisam comparecer), para a entrega dos documentos e processamento do pedido de reagrupamento. Foi tudo tranquilo. Preenchi os formulários na hora (você pode preencher antes, em casa, para agilizar), entreguei os documentos pessoais de todos, fotos, comprovante de endereço da minha esposa, extrato bancário nosso (de Portugal) e declaração de IR (minha, pois, no caso, eu que sustento a família). Paguei 15€ o meu pedido e 7,50€ os dos meus filhos (cada). A atendente disse que a resposta sai entre 2 e 3 meses. Nesse meio de tempo ela me recomendou a não sair de Portugal, exceto para o Brasil, pois meu visto de turista de 90 dias está vencido e ainda não tenho autorização de residência deferida. Com o protocolo do pedido não há problema para circular em Portugal, mas os demais países não são obrigados a aceitar esse documento, por isso a recomendação de não se aventurar por aí.

    Trata-se de um órgão público muito similar ao Poupatempo. Estava cheio, mas o atendimento foi muito rápido e tranquilo.

    Se alguém tiver alguma dúvida específica, pode postar, que respondo.

    Abraços a todos!
  • Caodib, desculpa realmente estou cheia de dúvida, no começo leiga, inocente eu achei que bastava ter a nacionalidade! Depois achei que bastava ter a nacionalidade o CC e o passaporte do consulado, agora pude perceber que NÃO! Tenho que fazer transcrição do casamento, divorcio, transcrição de casamento de novo, ter alguém responsável p eu tirar o NIF, mudar oo BI do Brasil pelo o de Portugal com NIF, arrendar um imóvel, brir uma conta bancária em Portugal, cartão de utente...meus filhos nacionalidade, passaportes, BI, histórico colegial, autorização de viagem, tem meu marido e minhas 2 cachorras, fora as passagens, malas e alfandega!!! Deus!

    Vamos as dúvidas:
    1- Fiz a transcrição de casamento dos meus pais na 4 Cv do porto e a minha nacionalidade no ACP devo fazer os dos meus filhos menores lá também?

    2- Não quero ir como turista, terei que gastar com passagens de volta e certamente terei problemas com a alfandega (malas grandes e cachorras)Tenho que tirar o CC e o passaporte no Consulado Rj ou existe uma forma de tirar via correios como tirei a nacionalidade?

    3- Não tenho que ter visto por ser portuguesa, mas na alfandega não dá problema? Vou morar mas com "a cara e a coragem" apenas quero ir legalizada, mas não tenho emprego e moradia certa, primeiro vou para casa da minha amiga depois vou arrendar um pequeno imóvel para esperar meu marido que só vai depois! O que falar na alfandega, migração?

    4- Onde eu tiro essa autorização para meus filhos e o pai deves obviamente terá que assinar.

    5- Se eu não fizer o divórcio do primeiro casamento e a transcrição do meu segundo e atual casamento meu marido só poderá ir como turista? Nosso casamento no Brasil não vale sem ser transcrito em Portugal?

    6- A separação mútuo consensual só pessoalmente? Não pode ser feita pelos correios ou com apenas um dos interessados presentes? Ou meu ex marido fazendo uma procuração para isso? Digo sem advogado direto na conservatória?

    7- Sou formada em Comunicação social Publicidade e propagada pela Facha de botafogo, devo reconhecer firma do reitor e apostilar Haia no certificado (diploma) para ser trabalhar? Li que na minha profissão não precisa, mas vou fazer porem plastifiquei meu diploma :( terei que tirar outro, muita burocracia e demora! É recomendado? Não tenho muita experiência, será que consigo emprego só com o diploma, legalizada, moradia, inglês e básico espanhol?

    8- também sou técnica de enfermagem com coren, vale a pena reconhecer a firma da diretora do curso? Apostilar? E o coren?

    9- Eu também tenho Cir carteira de embarque como enfermeira marítima, alguém sabe sobre emprego off shore em portugal?

    10- Meu marido é marinheiro e também queria saber sobre isso para ele! Mas no caso dele, sem nacionalidade apenas com o visto de agrupamento e direitos iguais se conseguirmos. No começo acho que terá que trabalhar como barbeiro que era a antiga profissão dele.
    Obrigadaaaaaa
Entre ou Registre-se para fazer um comentário.