Assento em Pai Penela - CANELAS

Obtive ajuda em localizar o assento de minha avó Maria da Luz, e casamento dos pais de seus pais. Registros que acredito, já proporcionarem à família buscar a cidadania.

Ocorre que tenho por honra a memória do meu pai, Mario Canelas, resgatar documentos que originaram o nome da família Canelas.

De tantos que me ajudaram, não me recordo quem localizou o casamento de meus avós, Antônio Joaquim Canelas e Maria da Luz (https://www.familysearch.org/ark:/61903/3:1:S3HY-DZN9-8Y6?i=90&wc=9GT5-7M9%3A113334201%2C120190503%2C120655101&cc=1582573). Foi na antiga 3a pretoria (freguesia de Sacramento), atual 3 RCPN em 06/07/1910. Notar que eles aparecem apenas como Antonio Joaquim e Maria da Luz. Não apareceu o Canelas no nome do meu Avô. 

Como pais de meu avô, meus bisavós paternos, aparecem João Antônio e Maria de Jesus. 

Ocorre que no registro de nascimento do meu pai em 1925 na cidade de Santos, meu avô declarou seu nome como Antônio Joaquim Canelas, e seu pai, meu bisavô, como João Antônio Canellas.

Encontrei algumas pistas sobre meu bisavô:

Ele é mencionado no registro de Vital de João Antonio Canellos (Filho de Antonio Joaquim Canellos) Brasil, Rio de Janeiro, Registro Civil, 1829-2012

https://www.familysearch.org/ark:/61903/1:1:7982-P7T2

E no registro de Vital de Luiz (Filho de Antonio Joaquim Canellas)

Vital • Brasil, Rio de Janeiro, Registros da Igreja Católica, 1616-1980

https://www.familysearch.org/ark:/61903/1:1:8BX4-YY6Z

Meu desejo vai além de obter a cidadania. Meu desejo é honrar o nome do meu pai Mario Canelas. Ele faleceu aos 97 anos, feliz com minha busca pela história da família.

Localizar o assento do meu avô Antônio Joaquim Canelas, é uma promessa que fiz a ele. Me ajudem por favor. Este é meu pedido de ajuda, localizar o assento de meu avô Antônio Joaquim Canelas.

Pelo seu óbito, a única pista é que ele é de Pai Penela.

Gratidão


«1

Comentários

  • editado August 21

    @leocanelas , pelo óbito, o Antonio Joaquim deve ter nascido por volta de 1884.

    Os assentos de batismo de Pai Penela só estão disponíveis, online, até 1881. https://tombo.pt/f/mda13

    Pode pedir pesquisa ao Arquivo Distrital da Guarda.

    Sugiro que procure, também, o casamento dos pais dele, João Antonio e Maria de Jesus.

  • Olá @Leticialele obrigado.

    Solicitarei ao Arq Distrital agora mesmo e dou notícias.

    Quanto a busca pelo casamento dos meus bisavós paternos, me sugere um caminho por onde começar?

  • @leocanelas , lê os registos de casamento disponíveis, são poucos!!

    João Antonio e Maria de Jesus

  • Bóra para as pesquisas!

    Valeu @leticia !

  • @leocanelas , eu comecei assim e já achei avós nascidos em 1620...

  • editado September 22

    Olá @Leticialele ! Localizei o batismo do meu avô, solicitando a pesquisa! Infelizmente no batismo dele, meu bisavô não assinou como João Antônio Canellas. Somente João Antônio.

    Segui pesquisando e encontrei o casamento dos meus bisavós. Mas não há o Canellas também.

    O que fundamenta o Canellas na família, é o batismo de uma tia, Adelina, que localizei, irmã do meu avô Antônio Joaquim.

    Todos os nomes batem, inclusive dos avós paternos e maternos da Adelina e do meu avô Antônio.

    E neste batismo, meu bisavô foi declarado como João Antônio Canellas! Isso em 1910. Meu avô Antônio foi batizado em 1885.

    Quando eu enviar os documentos, será que eles consideram o batismo da Adelina para validar o batismo de Antônio, como sendo um Canelas?

    Localizei também o batismo do meu bisavô, em 1805, mas meu tataravô não foi declarado como Canellas. E sim Manoel Antônio Almeida.

    Me pergunto, de onde afinal surgiu o Canellas em meu bisavô… mistério…

  • AdminAdmin Member, Banner, Administrator

    @leocanelas a Leticia não faz mais parte do fórum, convido-o a expor novas questões ao restante da comunidade.

  • @leocanelas

    Vc poderia informar como estão os nomes do batismo do avô português?

    Tem certeza que o canellas não veio de algum avô do seu avô?

    Vc mencionou que viu o casamento dos bisavós (pais do avô português). Não havia nada lá?

    Eu acho que vc deve procurar pelo batismo de cada um dos bisavós. Pode ser que esteja lá.

    ===

    A opção desagradável pelo assento pode ser que - mesmo com a semelhança de dados - o aseento encontrado não ser do do seu antepassado.

    Abraços

  • @guimoss agradeço informar sobre a Letícia.


    No nascimento do meu pai consta:


    Pai: Antônio Joaquim Canelas

    Avós: João Antônio Canelas e Maria de Jesus

    ————————

    Antônio Joaquim faleceu no Brasil em 1939 com 54 anos (logo nasceu em 1885)

    ———————

    No batismo do meu avô Antônio Joaquim, em Pai Penelha, ano 1885, consta:


    Pai: João Antonio, jornaleiro natural da Quinta da Serra da freguesia de Casteição


    Mãe: Maria de Jesus, jornaleira, natural desta freguesia de Pai Penelha


    Avô paterno: Manoel Joaquim de Almeida

    Avó paterna: Ana Joaquina 

    ——————-

    No batismo da irmã de Antônio Joaquim - Adelina, em 1900 consta:


    Pai: João Antônio Canellas


    Mãe: Maria de Jesus


    Avô paterno: Manoel António


    Avó paterna: Ana Joaquina 

    ———————-

    No batismo de João Antônio, em Quinta da Serra, 1805 consta:


    Pai: Manoel Antonio Almeida


    Mãe: Anna Joaquina

    ———————-

    No óbito de João Antônio Canellas no Brasil, com 78 anos em 1929 (logo, nasceu em 1851) consta:


    Pai: Manoel de Almeida Canellas

    Mãe: Anna Joaquina

  • Me equivoquei. O casamento que localizei é dos bisavós maternos

  • editado September 23

    @leocanelas

    O sumiço do sobrenome deve ter sido pelo fato de diferentes freguesias estarem envolvidas.

    Dessa forma, sugiram diferentes nomes.

    É o que eu acho.

    Abraços

  • @leocanelas se o António Joaquim, ao casar com Maria da Luz, não disse ser Canellas, então ele não é canellas, porque na altura era no casamento que se fixava o nome. Vc pode dar entrada como neto, e terá que transcrever o casamento dos seus avós, pois os dois são portugueses. No processo, pode apostilar a certidão de óbito do seu avô e a certidão de batismo da irmã de Antônio Joaquim - Adelina, em 1900

    Pai: João Antônio Canellas

    Mãe: Maria de Jesus

    Avô paterno: Manoel António

    Avó paterna: Ana Joaquina

    Para provar que Canellas é um apelido que está na família e assim terá a chance de manter o apelido, explique que já está há muitos tempo na família e que causaria transtorno alterar.

  • @nunogomes , muito obrigado pela contribuição!

    Realmente, no casamento dos meus avós ele aparece como Antônio Joaquim, e pra “piorar” meu bisavô também aparece como João Antonio, sem o Canellas.

    3 anos após, em 1913, houve o batizado de um filho, irmão do meu pai, no Brasil. Neste, meu avô aparece como Antônio Joaquim Canelas, e meu bisavô aparece como Antonio João Camellas - inverteram a ordem do nome. Os demais nomes, relativos a mãe e avó materna, batem.

    É interessante solicitar o inteiro teor desta certidão? O casamento de meus avós já solicitei.

    Mais uma vez, obrigado a ti e a você @guimoss !

  • Meus bisavós eram vivos e moravam no Rio de Janeiro. No óbito do meu bisavô em 1929 no Rio, ele aparece como João Antônio Canella, batendo os demais dados como nome dos pais (tataravós) e cônjuge.

  • @leocanelas

    Vc tb pode tentar questionar o AD a respeito, pedindo uma averbação do sobrenome, cok base na irmã portuguesa do seu avô.

    Veja se é possível.

    A sua linha ficou um pouco confusa.

    Dê uma organizada na sua linha, informando as localidades e o grau de parentesco com vc ou com o português que irá embasar o pedido.

    Poderia destacar com está no casamento dos seus bisavós e no batismo de cada um deles.

    Outra alternativa é achar o passaporte português deles e instaurar o processo com ele.

    ===

    O @nunogomes levantou boas ideias.

    A adelina é brasileira ou portuguesa?

    Se for portuguesa, acho que a apostila é desnecessária.

    ===

    Sobre a certidão mencionada, acho que não vai ter o efeito desejado.

    Vc precisa provar que o cabellas é um nome de família.

    Isso é melhor feito com um documento português, como o batismo da irma, se esta for portuguesa.

    ===

    E outra explicação plausível para o seu caso é a mudança de freguesias entre os diferentes nascimentos.

    Tudo isso deve ser argumentado se vc for usar a irmã nascida em PT (Ela nasceu lá?) para justifivar a ausência do nome.

    Mas, eu tentaria no nivel do AD primeiro.

    Abraços aos dois.

  • Olá @guimoss ! Vou refazer a linha como sugerido e posto novamente…

    Sim! Adelina e portuguesa, e nasceu na mesma freguesia que meu avô Antônio Joaquim - Pai Penela. Ela pode ser uma saída então para provar que o Canellas é da família?

    Vou tentar verificar sobre o averbamento do Canelas no batismo do meu avô também. A certidão digital da Adelina está para chegar via CRAV.

  • @leocanelas

    Pode ser uma tentativa, pois os assentos estão em um mesmo AD.

    E tambem, com o novo crav, há isso:

    Em 2022, a DGLAB renovou os serviços que disponibiliza aos utilizadores, no CRAV (Consulta Real em Ambiente Virtual). Registar-se no CRAV permite-lhe o acesso aos seguintes serviços:

    • Pedido de Informação (sobre os documentos em arquivo)
    • Pedido de Pesquisa
    • Pedido de Consulta Presencial (no próprio dia)
    • Pedido Antecipado de Consulta (possibilidade de agendar uma data)
    • Pedido de Reprodução
    • Pedido de Certidão
    • Pedido de Averbamento

    A ultima opção é um pedido de averbamento.

    A mudança de freguesias deve ter getado isso, mas nao dá pata afirmar com ctz.

    Vc viu uma msg minha em que achei uma possível parente sua?

    Boa sorte!

  • Obrigado @guimoss ! Vi a mensagem agora... bem curioso...

  • editado September 23

    @guimoss @nunogomes refiz a linha da família, acredito que de forma mais organizada. Gostei de fazer isso, ficou até mais claro pra mim!


    Nascimento de Mário Canelas – meu Pai

    Local:  Santos/SP - 1925

    Pai: Antônio Joaquim Canelas

    Mãe: Maria da Luz Rodrigues

    Avós paternos: João Antônio Canelas e Maria de Jesus

    Avós maternos: Joaquim Rodrigues e Maria do Carmo

    --------------------------------------------------------------------------

    Batismo de Antônio Joaquim – Pai de Mário Canelas

    Local: Pai Penela, Mêda, Guarda - 1885

    “Aos vinte e nove dias do mês de outubro do ano de mil oitocentos e oitenta e cinco, nesta igreja paroquial de Santo Silvestre freguesia de Pai Penela, concelho da Mêda, diocese de Lamego, batizei solenemente um indivíduo do sexo masculino a quem dei o nome de ANTONIO JOAQUIM, que nasceu nesta freguesia às onze horas da noite do dia dezoito do mês de outubro do ano de mil oitocentos e oitenta e cinco, filho legítimo primeiro do nome de JOÃO ANTÓNIO, jornaleiro natural da Quinta da Serra da freguesia de Casteição, concelho e diocese supra, e de MARIA DE JESUS, jornaleira, natural desta freguesia de Pai Penela onde foram recebidos, paroquianos e moradores na Rua dos Carros desta freguesia, neto paterno de MANUEL JOAQUIM DE ALMEIDA e ANA JOAQUINA e materno de AURÉLIO ANTÓNIO E LUÍSA ANTÓNIA…)”.

    • Neste registo de batismo o apelido Canelas não aparece mencionado. No entanto, como podemos ver no registo de batismo da sua irmã Adelina (a seguir) os pais e avós são os mesmos, e nesse registo o pai aparece como João António Canelas.
    • Ao que vi em algumas pesquisas de genealogia, o nome do avô materno, que é bastante raro, reforçou de forma decisiva a mim, que ambos os registos pertencem à mesma família.

    --------------------------------------------------------------------------

    Batismo de Adelina – irmã de Antonio Joaquim (pai de Mario Canelas)

    Local: Pai Penela, Mêda, Guarda – 1900

    “Aos vinte e seis dias do mês de dezembro do ano de mil e novecentos, nesta paroquial igreja de Pai Penela, concelho da Mêda, diocese de Lamego, batizei solenemente um indivíduo do sexo feminino a quem dei o nome de ADELINA, que nasceu nesta freguesia no dia nove do corrente, filha legítima de JOÃO ANTONIO CANELLAS e MARIA DE JESUS, jornaleiros, naturais e moradores desta freguesia; neta paterna de MANUEL ANTÓNIO e ANA JOAQUINA e materna de AURÉLIO ANTÓNIO e LUISA ANTÓNIA “…”.              

    --------------------------------------------------------------------------

    Batismo de João Antônio – pai de Antonio Joaquim e Adelina

    Local: Quinta da Serra – 1805

    Pai: Manoel Antonio Almeida

    Mãe: Anna Joaquina

    Avô paterno: Francisco Almeida

    Avó paterna: Maria Antonio

    --------------------------------------------------------------------------

    Óbito de João Antonio Canellas – pai de Antonio Joaquim e Adelina. Avô paterno de Mario Canelas

    Local: Rio de Janeiro – 1929, deixou 7 filhos

    Pai: Manoel Antonio Almeida

    Mãe: Anna Joaquina

    Cônjuge: Maria de Jesus 

  • editado September 23

    @leocanelas

    Ficou bem organizada a linha!!!

    Achei estranho o pai do Antonio e Adelina ter nascido em 1805.

    Isso significa que é outra pessoa ou um homônimo, pois ele teria os filhos com 80 e 95 anos, o que é improvável.

    Vc errou o ano?

  • @guimoss kkkkkkk rapaz kkkkk e ele teria falecido com 124 anos kkkkkk errei o ano.

    Joao Antônio nasceu em 1855. É ele mesmo…

    Quando Antônio Joaquim nasceu ele estava com 30 anos. Quando Adelina nasceu ele estava com 45 anos… e os nomes batem…

    Havia me esquecido de comentar sobre Antônio Joaquim não ser um Canelas, por não ter declarado no casamento…

    Ele teve 7 filhos. Destes, apenas 2 não teve o Canelas, mas o Luz da mãe do meu pai:

    Alberto da Luz

    Idalina Canelas

    Emidio Canelas

    Mario Canelas

    Felisberto Canelas

    Luiz Luz

    João Joaquim Canelas

    No processo de óbito da minha avó Maria da Luz, que encontrei o nome dos 7 filhos, da forma acima…

  • Uma grande dúvida que ainda tenho, é sobre a documentação dos portugueses. Por terem casado no Brasil, entendi a necessidade da transcrição. Deve ser apostilada?

    Quanto ao Batismo, por terem se casado existe a obrigatoriedade de apresentar o batismo dos dois?

  • editado September 24

    @leocanelas

    Sobre a ausência do canelas, vc tem 4 opções:

    1) mandar como está;

    2) Tentar averbar o sobrenome pelo AD ou pela Conservatória;

    3) Retificar todas as certidões equivocadas, a partir da 1ª certidão Brasileira do português;

    4) achar uma lista de passageiros brasileira ou passaporte português ou outro doc português com o nome correto.

    O passaporte do antepassado poderia resolver esse problema.

    Eu tentaria a 1 ou a 2.

    Mas, é uma decisão difícil.

    Nunca é bom se adiantar a uma exigência.

    ===

    Se houver problemas, vc manda batismos de outros parentes, explica a questão de mudança de freguesia, a sugestão do @nunogomes , etc.

    Até o processo chegar à fase de análise, vc já deverá estar pronto.

    Se é isso o que está te impedindo se enviar, eu enviaria.

    Tempo nunca se recupera, amigo.

    ===

    Eu imaginei que fosse um ano superior ou fosse de uma pessoa de um grau acima de parentesco.

    ===

    Sobre a transcrição de casamento:

    Se o português, casado com uma não-portuguesa fora de Portugal, declarou o nascimento do filho, antes deste ter completado 1 ano de idade, a transcrição do casamento é dispensada.

    ===

    @claudiabrandao

    @leocanelas

    Como vcs devem ser parentes, talvez os processos de vcs possa tramitar juntos*

    Busquem "apensação" aqui no fórum.

    No mínimo, pode ser mais uma justificativa para o caso do @leocanelas .

    Abraços

  • editado September 24

    Vi no AD o caminho para solicitar averbamento, e também é simples pelo que vi. As informações solicitados são de fácil acesso, são as mesmas para pedir certidão.

    Quando eu receber as certidões de Antônio Joaquim e da Adelina, vou solicitar, até para ver o prazo e custo. Dependendo, faço. Senão, vou também na opção 1.

    Você citou o passaporte, e hoje mesmo tentei localizar algum, no CEPESE, mas sem sucesso… me sugerem um caminho por gentileza?

    O @nunogomes foi muito assertivo na questão da mudança de freguesias… Quinta da Serra, Casteição, Pai Penelha…. Está anotado!

    Gostei de ler quanto ao tempo…

    Quanto a transcrição do casamento, Antônio Joaquim Canelas e Maria da Luz, pais do Mario (meu pai) são portugueses.

    Daí minha dúvida sobre quais documentos sou realmente obrigado a enviar… 

    O batismo da Maria da Luz, mãe do Mario, já possuo. Gera algumas dúvidas quanto a nomes, mas pretendo retomar discussão sobre em breve… Avancei graças a foristas! Agora estou bem focado no Antônio Joaquim. Desde 2015 pesquiso por ele e está se tornando realidade… Avancei bastante com a Maria da Luz. Seu batismo e o casamento dos seus pais já estão comigo!

    Acredito ser pouco provável um parentesco entre eu e a @claudiabrandao … conversei com familiares sobre os nomes, ninguém se recorda. Há muitos Canelas no Brasil. Aqui mesmo na Baixada Santista localizei óbito de alguns, que não eram familiares…

    Valeu!

  • Olá @leocanelas , quem entrou em contato comigo foi Sandra Canellas, de Niterói. Os Canellas, antepassados dela, se estabeleceram no Rio de Janeiro e Araruama, estado do Rio. Temos algum grau de parentesco mas é bem distante. Como disse, ela é descendente de um irmão do meu bisavô. Se houver alguma relação entre os seus Canelas e os Canellas dela e os Ferreira Sophia, estará na linhagem direta dela e não na minha. Em princípio, ela achou que o Antônio Ferreira Sophia meu bisavô não era parente dela porque ela nunca tinha ouvido falar dele. Em contrapartida, eu nunca tinha ouvido falar do Manoel irmão do meu bisavô e avô dela. Aí, na mesma semana, surgiu uma terceira pessoa, descendente de Antônio também, que tinha alguns documentos de parentes, onde constava o nome dos pais e avós de Antônio, e onde criava o elo com Manoel. Não é interessante? Desde então temos comparado datas e informações. É quase impossível eles não serem da mesma família. Vou continuar pesquisando desse lado da família também e se encontrar algo posto aqui.

    @guimoss Muito obrigada pelas informações. Acredito que, com a recente mudança na lei, meu marido agora possa pedir a cidadania para mim. Ele é neto de português e já tem cidadania portuguesa. Conseguiu há alguns anos.

  • Nossa @claudiabrandao , é realmente incrível! É tudo muito novo pra mim. Li seu relato várias vezes, imagino a surpresa que foi para ambas…

    Será surreal encontrar essa relação com nossos Canellas.

  • @claudiabrandao

    Ele conseguiu quando a nacionalidade, se posso perguntar?

    O seu caso nao era como neta?

    Se vc tem parentes portugueses, como cônjuge, não é a melhor opção.

    É por isso que eu sugeri a apensação com o caso do @leocanelas .

    Abraços

  • @guimoss

    Ele conseguiu em 2009. Não sou neta, sou bisneta, dos dois lados.

  • @claudiabrandao

    O seu caso é um pouco diferente.

    Vc disse que o seu marido conseguiu como neto.

    Se o processo terminou em 2009, ele é um neto naturalizado (2006-2015).

    Ou o pai dele pediu como filho e depois ele, como filho?

    Por favor, explique o caso,pois pidecte afetar.

    Se ele fez o processo como neto, ele teria que fazer a convolação da aquisição (neto Naturalizado) para neto por atribuição.

    Só esta última transfere a nacionalidade para os descendentes.

    ===

    Os seus pais sao vivos?

    Se eles forem vivos, vc pode pedir por um deles e depois pedir para você, a fim de transmitir o legado familiar.

    Vc tem filhos com o seu marido?

    Tem a nova modalidade de aquisição de nacionalidade dos filhos para os pais.

    Abraços

Entre ou Registre-se para fazer um comentário.