Certidão de casamento referente ao primeiro casamento do Português

Bom dia a todos,

Estou com um problema para fazer a transcrição de casamento de um português, enviamos todos os documentos para o consulado de Santos para fazer a transcrição,porém consta que ele ja foi casado uma vez em uma data anterior a 1930, entrei em contato com todos os cartórios, igrejas, curia, dioceses e ninguém possui o registro.

Não sei o que fazer , pois o consulado me informou que precisa transcrever todos casamento do português ( esse primeiro casamento eles não tiveram filhos e ela faleceu em 1930 ) para ajudar eu localizei o óbito da primeira esposa, mas ela não tem sobrenome.

Enfim, se alguém puder me dar uma ideia fica agradecido.

Comentários

  • @Diogoscofield61

    Em qual documento consta que ele já foi casado anteriormente?

    Esse casamento aconteceu no Brasil ou em Portugal?

    Em regra, o seu caso demandaria a transcrição do 1° casamento + a transcrição do óbito da esposa e a transcrição do segundo casamento.

    Mas há esse caso abaixo, parecido com o seu, em que nenhum casamento foi transcrito:

    https://forum.cidadaniaportuguesa.com/discussion/comment/247926/#Comment_247926

    Por fim, deixe o nome de todos os envolvidos. Talvez alguém ache o 1° casamento, o nascimento e o óbito da 1a nubente.

    Boa sorte!

  • Bom dia @guimoss

    Teoricamente eles casaram no brasil, consta que ele foi casado na certidão de óbito da primeira esposa que localizei( esqueci de mencionar que ela tbm era portuguesa) e tbm consta a informação que ele foi casado na certidão de casamento com a segunda esposa.

    Eu solicitei a habilitação do segundo casamento para verificar se ele apresentou a primeira certidão quando ele foi se casar novamente, mas não consta, ele apresentou somente uma declaração.

    A primeira nubente é:

    Maria Eduarda

    60 anos

    Natural de Portugal

    Filha de Luiz Braz e Maria Delphina

    Marido: Joaquim Neves

    Data do óbito: 20/04/1930

    Esses são os únicos dados que tenho dela( ELA NAO TEM SOBRENOME )

    Já o português ele chegou no brasil em 1908 por isso não acredito que eles tenham

    O português é:

    Joaquim ferreira das Neves

    Filho natural de: Ludovina da fonseca

    Nascimento: 22/07/1884

    Freguesia de Oliveira do mondego, concelho de penacova.


    Agradeço pela ajuda

  • @Diogoscofield61

    Voce sabe onde desembarcaram?

    E onde eles fixaram residência?

  • @Diogoscofield61

    Provável Passaporte da irmã.

    O nome do pai está diferente, mas erros em certidões de óbito são comuns.

    A primeira esposa deve ser dessa localidade.

    ID Nome Naturalidade Concelho PaiMãe Profissão Idade Destino Estado Cívil

    325977 Floriana De Jesus Granjal Sernancelhe Luis António Ratão Novo Maria Delfina Sem Indicação 54 S. Paulo Sem Indicação

  • @guimoss

    A única informação que tenho é que a Maria eduarda faleceu em Piquerobi-SP em 1930.

    Como ela não tem sobrenome fica difícil achar informações sobre ela.

    Não consegui visualizar o passaporte.


    Att

  • guimossguimoss Member
    editado January 11

    @Diogoscofield61

    O passaporte da irmã indica o local onde você deve procurar o batismo da Maria Eduarda.

    Como a vinda para o Brasil se deu em 1921 e ela, de acordo com o passaporte, pode ter 54/55 anos, o nascimento se deu em 1866/67.

    Esse ano é condizente com o nascimento da Maria, nascida em 1869/70, se os dados estiverem corretos.

    A freguesia do passaporte:

    https://tombo.pt/f/srn10

    Boa sorte!

  • @Diogoscofield61

    Lembro que vc também precisará do primeiro casamento.

    Este pode ter acontecido em um dos três lugares: na freguesia portuguesa do marido (busque o passaporte dele, que pode te dizer o estado civil dele, no momento da saída), na freguesia da esposa ou onde eles fixaram residência.

    Boa busca!

  • Boa noite @guimoss

    Sim, é sobre o mesmo caso que eu coloquei no fórum, no final do ano passado. Saiu a sentença que pedi para retificar os documentos do português. Até então, só faltava pedir a exclusão do nome do suposto pai, mas agora o consulado está solicitando a certidão do primeiro casamento do dele, mas não existe qualquer registro desse matrimônio. 


    Verifiquei no passaporte dele e não tem nenhuma informação de que ele teria se casado antes de vir para o brasil, apesar da primeira esposa também ser portuguesa. 


    Minha preocupação é de não acharmos a certidão de casamento referente a esse primeiro casamento, que por sinal não tem ligação com a filha do português que está solicitando a cidadania, pois ela nasceu do matrimônio seguinte. Tentamos tanto em cartórios como em igrejas das cidades que ele passou, mas todas as respostas são negativas.


    Existe alguma outra forma deles liberarem caso não achemos essa certidão de casamento? A de Óbito da primeira esposa eu achei! Se juntarmos certidões negativas dos cartorios e-mails das igrejas e somente a certidão de obito da primeira esposa, eles aceitariam?

  • @Diogoscofield61

    Qual o seu grau de parentesco com essas pessoas?

    Quanto mais informações, melhor será a ajuda. Só tome cuidado com dados privados.

    Inventário da Maria Delfina:

    https://digitarq.advis.arquivos.pt/details?id=1278686

    Se encontra na mesma localidade do passaporte da irmã.

  • guimossguimoss Member
    editado January 11

    @Diogoscofield61

    Vc terá que olhar os livros civis e religiosos da localidade da residência da primeira esposa, da data da chegada do português até o óbito dela.

    ---

    Se quiser colocar a imagem do passaporte, algum forista confere se há o estado civil do português.

    No outro tópico, vc mencionou muitos documentos do português, inclusive militares.

    Em nenhum deles, aparece o estado civil do português?

    ---

    Infelizmente, o seu caso demandará a transcrição do primeiro casamento, se ocorrido no Brasil + o óbito da primeira esposa e a transcrição do segundo, pois o português não declarou o nascimento do filho.

    Sem o casamento, não há o que fazer.

  • @guimoss

    Bom dia

    Sou casado com a Neta do português, você teria algum contato de algum profissional que possa me ajudar a localizar esse documento? Já estamos a 2 anos mexendo com essa cidadania, mais de 1 ano somente com retificações.

    Não sei se eles casaram no brasil ou em portugal.


    Att

  • @Diogoscofield61

    Divulgar advogados pelo fórum viola a regras da comunidade.

    Mas vc não precisa disso.

    Vc tem que pesquisar nos locais que eu mencionei e seguir as sugestões das mensagens anteriores.

    ---

    Outra coisa que vc tem que ver é a existência de duas grafias diferentes no nome do pai da Maria Eduarda, em documentos portugueses.

    Boa sorte!

  • @guimoss

    Boa noite,

    Primeiramente gostaria de agradecer sua dica, consegue localizar o assento de batismo da Maria Eduarda,

    Uma pergunta, onde consigo acessar para ver se acho o passaporte dela ou demais documento?

    Através da sua dica hoje ja sei o local de nascimento e a data.

    registro de batismo 17

    Maria Eduarda

    nascimento 30/10/1870

    Granjal

    Freguesia de Sernancelhe


    Muito obrigado

  • LeticialeleLeticialele Member, Moderator

    @Diogoscofield61 , para que você precisa do passaporte?

  • @Leticialele

    Acho que ele quer saber se a primeira esposa (Maria eduarda) era casada com o antepassado dele.

    Ele verificaria isso pelo estado civil do passaporte dela.

    @Diogoscofield61

    Você poderia verificar na imagem do livro, se há alguma averbação do casamento ou perguntar por email, de forma informal, se o casamento está averbado.

    ---

    Se ela nasceu em 1870, imagino que a idade mínima de casamento seja 16 anos, ou seja em 1886.

    Vc sabe que o seu antepassado veio para o Brasil em 1908.

    O casamento, se realizado em Portugal, aconteceu entre essas datas, nos locais que te mencionei antes.

    ---

    Se no passaporte e nos demais docs militares não consta o estado civil, é provável que ele tenha se casado no Brasil.

    Também as residências de ambos não eram próximas, o que ressalta a tese do casamento no Brasil.

    Mas vc só saberá se fizer a busca manualmente ou pedir pelo AD das duas localidades portuguesas e na brasileira.

    Boa sorte!

  • @Leticialele

    Boa noite,

    Preciso do passaporte para ver se ela tem sobrenome ou qualquer outra informação, estou tentando achar o máximo de informações possíveis sobre ela, meu objetivo é achar onde ela casou, pois todo o nosso processo está travado, pois sem a certidão de casamento não consigo finalizar, como não tenho nenhuma informação sobre ela estou tentando reunir o máximo possível.

  • guimossguimoss Member
    editado January 14

    @Diogoscofield61

    Vc viu a msg que mandei logo acima dessa sua última?

    Dei umas dicas nela.

    Boa sorte!

  • @Diogoscofield61

    E que bom que o passaporte da irmã que eu disponibilizei foi util para encontrar a Maria eduarda.

    Nao se esqueça de olhar o inventário da mãe dela.

    Nao custa caro, pode ser baixado pela internet e pode oferecer informações úteis.

  • LeticialeleLeticialele Member, Moderator

    @Diogoscofield61 , o português não foi o declarante do nascimento do(a) filho(a)? Transcrever o casamento é essecial?

  • LeticialeleLeticialele Member, Moderator
    editado January 14

    @guimoss @Diogoscofield61 , peço desculpas aos dois.

    Eu já havia respondido. Mas é tanta gente, que meu cérebro, já cansado, não consegue guardar cada nome.

    Não aceitaram a justificativa que sugeri?

  • Bom dia pessoal !

    Uma ajuda pf: minha tia já conseguiu a cidadania dela...agora vamos tirar o cartao cidadao dela, mas ela casou 2x...como faço? Tem que fazer do primeiro casamento e o divórcio e depois fazer o outro? Conseguimos fazer por conta ou precisa de adv? Obg!

  • @Helio P

    Tem que fazer na ordem cronológica dos fatos.

    Transcrever o primeiro casamento. Não precisa de advogado, Olhe os tópicos de transcrição para onde e como fazer. A recomendação vai depender de onde vocês (sua tia) moram.

    Divórcio. Só com advogado em Portugal. Vai ser bem mais caro que as transcrições.

    Segundo casamento. Depois do divórcio homologado, igual o primeiro.

    Outra coisa a considerar, dependendo do que ela pretende fazer com a cidadania - cada caso é um caso. É não transcrever nada e ela vai ficar em Portugal como solteira e todos os documentos (cartão, passaporte) saem com nome de solteira.

  • @CarlosASP , obg pela ajuda!

    Minha tia pretende passar para meus primos a cidadania e todos os seus filhos são do 1o.casamento, sendo o pai o declarante.

    Mas se transcrever o primeiro casamento, não vai constar a averbação na certidao de casamento do divórcio?

    Obg!

  • @Helio P

    Como o marido (não português) foi provavelmente o declarante dos filhos, vai precisar ao menos transcrever o primeiro casamento para estabelecer a maternidade portuguesa e passar a nacionalidade para os filhos.

    Dependendo de onde fizer isso, acho que podem não exigir a transcrição do divórcio (mesmo estando averbado na certidão). Isso é melhor a @Leticialele ou o @gandalf confirmarem. E pode variar se for feito em consulado ou em conservatória em PT. Tem procedimentos e exigências diferentes.

    Se for isso mesmo, e sua tia não se incomodar de ficar como "casada" e com esse nome do primeiro marido em PT, talvez desse para evitar o custo de advogados para homologar o divórcio em PT.

    Acho que quase certo que, sobre o segundo casamento, só se sua tia quiser passar a constar como casada com seu segundo marido em PT (e/ou acrescentar o nome dele). Em termos de nacionalidade, não afeta os filhos do primeiro casamento.

  • LeticialeleLeticialele Member, Moderator

    @CarlosASP , está tudo correto.

    @Helio P - Mande a transcrição do primeiro casamento para o Consulado que atenda à região em que ela mora. Não precisa homologar o divórcio se não desejar.

  • gandalfgandalf Member
    editado 6:04AM

    @Helio P

    Não tenho muito a acrescentar.

    a) a transcrição do 1º casamento é obrigatória para que os filhos do primeiro casamento tenham direito.

    b) caso ela tenha mudado de nome no 1º casamento, a tia ficaria com o apelido (sobrenome) do 1º marido até fazer a homologação judicial do divórcio (uns €800, se o ex assinar os docs; sem ele assinar demora mais, e vai custar uns 50% mais). Como dito acima, o processo de homologação exige um advogado registrado na OAP.

    c) a homologação do divórcio seguida da transcrição do 2º casamento é obrigatória para dar direito a nacionalidade ao 2º marido, e aos filhos desse segundo matrimônio que ela não tenha sido declarante na certidão de nascimento deles.

Entre ou Registre-se para fazer um comentário.