Localização da certidão de nascimento de meu falecido pai

Olá pessoal, bom dia, boa tarde ou boa noite, como não tenho nenhum conhecimento nesse assunto preciso muito da ajuda de vocês, meu pai que se chama ALBINO SIMÕES DE SOUZA(SOUSA) de COIMBRA que nasceu dia 10/09/1949, não sei qual esta em portugual porque parece que trocaram o "S" pelo "Z" no Brasil e os documentos que tinhamos dele perdemos em uma enchente, como só tenho essas informações em mãos conseguem me ajudar a localizar o assento(certidão de nascimento) dele? estou tentando dar entrada no pedido de nacionalidade e as assessorias que procurei cobram no mínimo 5 mil para me auxiliar e não tenho isso.

recapitulando, meu pai se chama ALBINO SIMÕES DE SOUZA(SOUSA) nascimento 10/09/1949 e os meus avós se chamam ALBINO DE SOUZA(SOUSA) e DEOLINDA SIMÕES ambos são portugueses também.

«1

Comentários

  • @welinty

    Peça pelo civilonline, custa 10 euros e chega por email para você em poucos dias: Como solicitar certidões pelo civilonline

    Você precisa saber de qual localidade ele era, imagino que ele tenha mencionado isso para você ou para algum familiar.

    Quanto ao processo você pode fazer sozinho, siga este guia: Documentos para Atribuição de Nacionalidade para Filhos Maiores Formulário 1C

  • @welinty Freguesia de Paião, Concelho de Figueira da Foz, Distrito de Coimbra - agora já tem todos os dados para prosseguir. Boa sorte!


  • @welinty

    Faça como o colega falou; peça ao civilonline.

    Segundo a ficha de imigração dele, a freguesia é Paião e o concelho é Figueira da Foz; o distrito é Coimbra:

    https://www.familysearch.org/ark:/61903/3:1:3QS7-99V9-63SK?view=index&action=view

  • Muito obrigado gente, outra dúvida, preciso de 2 certidões de nascimento minha? Uma inteiro teor e outra apostilada ou é a msm coisa? E preciso mesmo ir ao consulado reconhecer minha assinatura ou consigo reconhecer no cartório de minha cidade?

  • @welinty


    Voce precisa pedir uma via *reprografica* apostilada da sua certidão. Toda via *reprográfica* é integral, pois trata-se de uma reprodução fotografica do livro de registros.

    Quanto ao reconhecimento de firma, é feito em cartório, na presença do funcionário, na modalidade *por autenticidade*.

  • @AlanNogueira @Carlos


    Sobre a assinatura, preciso mesmo ir ao consulado ou poss fazer no cartório de minha cidade? E sobre a certidão de nascimento minha, tenho que tirar uma inteiro teor e outra apostilada ou é a mesma coisa?

  • @welinty o @eduardo_augusto já te respondeu gentilmente esta duvida acima

  • @AlanNogueira @Carlos

    Gente, me ferrei, meu pai assinou Souza nos documentos do Brasil mas esta registrado como Sousa na certidão de nascimento, isso tem problema para pedir a cidadania né? tenho que pedir para alterar todas as documentações dele?

    Sobre a assinatura

  • @welinty


    isso nao costuma dar problema.

  • @AlanNogueira @Carlos @eduardo_augusto

    Então vou enviar tudo e vou na fé que eles não vão pedir, mas se pedir daqui uns meses eu corro atras para tentar resolver, muito obrigado a vocês 3 por me ajudarem.

  • @AlanNogueira @Carlos @eduardo_augusto

    Cheguei no cartório hoje para perguntar o valor para reconhecer firma com autenticidade o oficial perguntou se não era para ser apostilada junto com reconhecimento, pois segundo um formulário que ele mostrou para mim foi recusado pela conservatória e ele teve que apostilar para a pessoa, eu preciso só assinar e reconhecer firma com autenticidade na frente do Oficial ou preciso fazer isso e apostilar ainda?

  • @welinty


    Há opiniões diferentes aqui no fórum sobre isso. A maioria diz que, pelo formulário ser um documento português, bastaria o reconhecimento de firma.

    Eu , quando fiz o meu processo, segui a opinião da minoria: reconheci a firma e apostilei tudo que tinha. se fosse possível teria apostilado até o envelope!

    O processo não será indeferido por isso. O maior risco que você corre é daqui a dois anos, quando forem analisar o processo, colocarem uma exigência pedindo um novo formulário com firma reconhecida, e apostilado. aí é só fazer e mandar.

    Reflita e decida o que vale mais a pena para você.

  • @welinty

    Temos 4 processos (1 de neto e 3 de filhos) na família aprovados. O de neto pela CRCentrais Lisboa e os de filhos na ACP.

    Em nenhum deles o formulário foi apostilado - a assinatura foi reconhecida por autenticidade.

  • editado November 22

    @CarlosASP @eduardo_augusto sabemos que as pessoas só mandam reconhecido firma no Brasil, da minha família também mandei desta forma. Porém tecnicamente falando apesar do formulário ser documento portugues, o reconhecimento de firma é ato brasileiro e para ter validade no exterior o ato precisaria ser apostilado para atestar a competência e assinatura do tabelião que assinou o documento. Seria diferente se reconhecida a assinatura no consulado portugues no BR, onde se geraria um documento totalmente portugues e nem se quisesse seria possivel apostila-lo em cartorio brasileiro (só se pode apostilar documento do proprio pais). Mas se estão aceitando assim é porque lá em PT estão entendendo que o documento é portugues e pronto. Vamos aproveitando...

  • @welinty @AlanNogueira @CarlosASP @eduardo_augusto @ALage

    eu peguei esta informação no site do consulado do Rio, então acho que é melhor não arriscar, eu vou apostilar...


    • o impresso de modelo aprovado – em cujo cabeçalho constará aquele mesmo código – que deve ser preenchido, assinado e apostilhado em cartório e enviado pelo correio para a Conservatória dos Registos Centrais, conforme instruções constantes no respetivo modelo, junto com os documentos acima que devem instruir o pedido.


  • @CamilaMacri

    Os guias aqui do fórum representam um consenso informal das opiniões e experiências acumuladas; quando tem que apostilar algo, isso é claramente indicado.

    https://forum.cidadaniaportuguesa.com/discussion/17610/guias-e-informacoes-uteis-comece-aqui

    Minha visão é: haveria uma enxurrada de exigências se as conservatórias exigissem isso; o que não parece ser o caso até agora (pode ser que, no futuro, isso mude, como outras coisas mudaram; em geral por causa de fraudes) .

    Nem esse fórum, nem outros que conheço, falam em apostilar o 1C ou 1D e isso é seguido pela maioria das pessoas sem problemas, Como sempre, cada um faz o que lhe deixa mais confortável,

    Consulados frequentemente tem procedimentos diferentes das conservatórias. O Rio adora uma apostila; para transcrição de casamento, também tem que se apostilar o pedido:

    Requerimento para transcrição do casamento devidamente preenchido e sem rasuras. O requerimento deverá ser datado e assinado pelo(a) interessado(a) presencialmente em Cartório, e a assinatura do requerente deve ser reconhecida por autenticidade em cartório de nossa área de jurisdição e apostilhada

    Compare com a lista frequentemente usada para fazer o mesmo procedimento na CRC Porto. Nada de apostila; ao que eu saiba, ninguém voltou aqui dizendo que caiu em exigência por causa disso:

    https://forum.cidadaniaportuguesa.com/discussion/23255/lista-basica-para-transcricao-de-casamento-em-portugal-pela-crc-do-porto

    Quando transcrevi casamento no Rio, apostilei o pedido, pois era claramente exigido. Quando pedi nacionalidade 1D em Lisboa e 1C no Porto, nada de apostila. Acredito que essa experiência reflita a da maioria das pessoas,

  • @CarlosASP @AlanNogueira


    @CamilaMacri

    Como eu disse: aqui no fórum a opinião "consensual" é que o apostilamento não é necessário. Provavelmente a maioria das pessoas não apostila. Eu apostilei. Por causa de 150 reais de uma apostila, não quis arriscar cair nas mãos de um conservador "chatinho" que viesse com essa exigência.

    Importante entender que isso não vai levar ao indeferimento da sua requisição. Se houver um problema com o formulário, vai cair em exigência e você resolve.

    O que o @CarlosASP comentou é verdade: o consulado pede algumas coisas que Portugal mesmo não pede. Por que? Não sei.

    Não fique pensando muito. Escolha um caminho a seguir, e vá!

  • @eduardo_augusto e @CarlosASP , eu tenho medo de cair em exigÊncia, então estou pensando em mandar apostilado. Estou inclusive mandando certidões que talvez nem precise, como certidão de óbito do pai do meu ex marido, que é o filho dos portugueses. Pq já vi casos de exigências de RG e não tenho como mandar RG de uma pessoa falecida, sendo assim já vou mandar a certidão de óbito e tb já solicitei no IIFP (Instituto de Identificação Felix Pacheco) , aqui do RJ, os dados constantes no RG dele. (O Detran tb fornece, porém o IFP era onde os RGs eram emitidos antigamente aqui no RJ, e lá tb fornece, então optei por pegar lá, dentre outros motivos rs)

    Estou vasculhando este forum há meses e estou tapando todos os buracos pra evitar de qq forma que caia em exigência pra não atrasar ainda mais os processos (estou enviando o do meu ex marido e o da nossa filha menor de idade apensado).

    Realmente a lista do consulado é muito mais exigente, e por isso fico preocupada rs


    Mas agradeço , vou pensar com calma aqui enquanto aguardo as certidões chegarem do Açores (tive q pedir de novo pq o Consulado não devolve mais)

  • @CamilaMacri , @AlanNogueira , @CarlosASP , @eduardo_augusto

    Participo do fórum há 12 anos e nunca vi um caso de exigência de apostila para formulário 1C ou 1D.

  • @CamilaMacri

    Tome cuidado para não dar tiro no próprio pé.

    Mandar certidão a mais pode criar um problema que não teria se não mandasse. Leia com uma lupa e pente fino tudo que está nessas "certidões a mais" para ter certeza que não há nada ali (nomes, datas) em contradição com o que está nas certidões "obrigatórias".

    O consenso do fórum também é contra mandar mais do que é necessário.

    Quantos relatos recentes tem visto sobre exigências de RG do filho BR do PT falecido em processos de neto? Pessoalmente, não tenho visto. Houve algumas meses atrás; se ficou na dúvida se era algo que seria generalizado. Ou se era uma exigência causada por circunstâncias específicas daqueles processos, ou algo que uma conservadora específica lotada na ACP estava fazendo depois que a ACP passou a analisar netos também. Não sei qual o "veredito".

    Eu fico meio preocupado com um certo direcionamento mais recente de parte desse fórum para "achar pelo em povo" e pecar por um preciosismo exagerado. Já teve gente aqui que defendia sair retificando tudo em qualquer situação; muitas vezes desnecessárias ou até induzindo as pessoas a fazerem retificações "erradas".

    Esse tipo de abordagem criou mitos no passado que causaram enormes problemas para muitas pessoas, como por exemplo dizer que "todo casamento de um PT no BR tem que ser transcrito" (o que não é verdade para fins de nacionalidade). Tinha gente que não conseguia achar a certidão do cônjuge BR, levava meses buscando, ficava "desesperado" por não achar. Tudo isso por algo que, em muitos casos, não era necessário.

    Uma coisa é exigência que se sabe que vai acontecer por falha na montagem do processo, baseado em um histórico consistente que demonstra isso. Outra coisa é um relato aqui e ali (muitas vezes chega bem incompleto - que não prova a real razão da exigência) e sair todo mundo em pânico querendo evitar isso. E há um meio termo, que é ficar de olho em "novas" exigências que refletem a evolução do entendimento dos conservadores (por exemplo, a necessidade de ser cópia reprográfica; algo já consolidado que vai dar problema se não mandar) - muitas vezes em resposta a fraudes que ocorreram.

  • @Guilherme Moreira obrigada, não vou apostilar então e vou economizar um dinheiro, vou apostar na experiência de vcs rs

    @CarlosASP , vc tem razão, vou dar um pente fino nas certidões e ver se tem algo divergindo e avaliar se vale a pena enviar o que não consta na listagem. obrigada!!

  • @CamilaMacri , @AlanNogueira , @CarlosASP  @Guilherme Moreira


    Eu também nunca vi ninguém cair em exigência por falta da apostila no formulário.


    @CamilaMacri talvez eu tenha te deixado com receio de mandar sem a apostila. Apenas na minha situação específica, eu não quis deixar nenhuma ponta descoberta. Mas como o @Guilherme Moreira comentou, não há exigências conhecidas por conta disso. Acho que pode mandar sem a apostila com segurança.


    Em relação a documentos adicionais, como o @CarlosASP disse, é consenso no fórum não enviar mais do que é pedido. Tem dois motivos: o primeiro, é gastar dinheiro à toa com coisas que não são necessárias. O segundo, é que algo pode escapar à sua atenção, alguma data, local, nome, uma falta de um carimbo, uma assinatura... que talvez você não perceba, mas o conservador com a experiência pode perceber.


    Exigência não é o fim do mundo. Tendo a documentação em ordem, e fazendo um pedido dentro dos fundamentos legais, caindo em exigência... é só resolver!

  • @eduardo_augusto sim, fiquei receosa mesmo rsrs

    mas vou mandar sem apostila mesmo, até pq são 2 formulários, então vai ser uma boa economia! A certidão a mais eu vou enviar pq eu já conferi e tudo bate, não tem como dar problema. Estou enviando a certidão de óbito do filho do português, para eles não exigirem o RG dele, já q já é falecido há 10 anos.

  • @Guilherme Moreira também nunca vi e os processos da minha família mandamos sem apostila no formulário. Apenas fazendo o exercício teórico, mas, como aceitam dessa forma, melhor aproveitarmos!

  • @CamilaMacri


    Ótimo! Essa é a vantagem do fórum, várias pessoas com pontos de vista diferentes, em uma discussão educada e produtiva.

    Quanto a enviar a certidao de obito por conta do RG... *alguns* processos cairam nessa exigencia, mas já tem alguns meses que nao vejo mais nenhum relato. Acredito que tenha sido algo pontual. *eu* nao enviaria esses documentos. Minha opiniao: deixe esses documentos organizados, envie apenas se cair em exigencia.

    Pensando em economia, sao mais duas apostilas evitadas, fora o custo da certidao e da cópia...

  • Busca de certidões portuguesas

    Olá , tudo bem ?

    Bem como não tenho muito conhecimento nesse assunto, preciso muito da ajuda de vocês, meu pai que se chama NILSON GOMES, nasceu em 25/05/1941, os Pais dele SILVÉRIO JOSÉ GOMES e CECÍLIA DE MIRANDA eram portugueses, mas como já faleceram a muitos anos e meu pai também eu não tenho muitas informações e queria se possível localizar a certidão do meu pai ou do meus avós, pq o meu pai não tinha a cidadania Portuguesa, nasceu no Brasil... não sei como fazer vcs ne ajuda ?

    Recapitulando ; meu pai se chama NILSON GOMES , nascimento em 25/05/1941 e meus avós, SILVÉRIO JOSÉ GOMES e CECÍLIA DE MIRANDA creio que são Portugueses..

  • editado November 27

    @ACBG35

    O nascimento de seu pai está aqui (ver PDF abaixo). Foi registrado no que hoje em dia é o 7 RCPN, no Estácio:

    https://setimoregistrocivil.com.br/site/index.php/cartorio/quem-somos

    No nascimento dele dá para ver o nomes dos avós.

    Isso me leva a crer que Silverio Jose Gomes nasceu no Rio de janeiro; aqui seria o nascimento dele em 1900. Os pais de Silverio que são de PT:

    https://www.familysearch.org/ark:/61903/3:1:S3HT-XXCQ-R8N?view=index&personArk=%2Fark%3A%2F61903%2F1%3A1%3A79Z5-CFPZ&action=view

    Aparentemente Silverio e Cecilia nunca se casaram, pois nos nascimentos de vários filhos deles que vi, todos são registrados como "ilegítimos". Isso complica um pouco achar informações, pois a certidão de casamento em geral é uma boa fonte. Talvez algum colega do fórum ache algo mais sobre Cecilia, inclusive se ela era de PT ou BR.


    Atualizando; Eu achei o nascimento em 1929 de uma provável irmã de Nilson, chamada Nilda. Nesse nascimento, Silverio diz que Cecilia Miranda é brasileira:

    https://www.familysearch.org/ark:/61903/3:1:S3HY-D1L9-8HG?view=index&action=view

  • editado November 27

    @CarlosASP @ACBG35 no nascimento de Nilda consta os pais como casados e menciona que "casaram-se há tres anos", mas depois fala que "filha ilegitima" e qualfica novamente Cecilia como "solteira", talvez tenha sido declarado errado e corrigido no proprio assento.

  • @CarlosASP @ACBG35

    Este pode ser o batismo da Cecilia, filha de Ana Dionizia de Miranda (sem pai declarado):

    https://www.familysearch.org/ark:/61903/3:1:939F-R89C-3G?view=index&personArk=%2Fark%3A%2F61903%2F1%3A1%3A6X8J-RHZK&action=view

    E aqui o registro em cartorio da mesma Cecilia: https://www.familysearch.org/ark:/61903/3:1:S3HT-XXCQ-TYV?view=index&personArk=%2Fark%3A%2F61903%2F1%3A1%3A79Z5-CL3Z&action=view

    Se for mesmo ela, Cecilia também era brasileira, assim como a mãe dela.

  • @AlanNogueira @ACBG35

    Eu vi isso na certidão da Nilda, mas ficou bem claro que era "ilegítima" com a correção, pois o que vale é o que está depois do "digo". Há certidões (livro talao de nascimento) de outros filhos do casal que nasceram mais tarde; todos aparecem como ilegítimos.

    Também desconfio que essa possa ser a Cecilia, mas falta uma informação para poder cravar.

Entre ou Registre-se para fazer um comentário.