busca de registro de nascimento do avô com base no registro de casamento dos pais

Prezados, bom dia.

Com base no registro de casamento dos meus bisavós anexo, algum "expert do Fórum" poderia me ajudar a localizar o registro de nascimento do meu avô José Agostinho Gomes Roldão (nascimento 24.11.1885 em Lisboa, Portugal ) casado com Alexandrina Augusta de Jesus Moreira Gomes Roldão (nascimento 29.04.1899) no Concelho de Lisboa, freguesia de Socorro - Portugal? 

Muito obrigado. 



Comentários

  • DigfortesDigfortes Member
    editado December 2020

    Pedem para abrir discussão no Fórum, mas ninguém comenta, ninguém ajuda. Não entendi.

  • LeticialeleLeticialele Member, Moderator

    @Digfortes , nem sempre conseguimos localizar as certidões!!

    A ajuda sempre aparece, quando é possível!

  • Vlad PenVlad Pen Member, Moderator, Banner
    editado December 2020

    @Digfortes ninguem aqui no fórum faz busca de certidões por obrigação. As respostas vem quando alguém tem tempo e boa vontade de procurar e consegue localizar alguma informação.

  • Olá Letícia, tudo bem?

    Eu sei que é muito difícil e agradeço por toda a sua ajuda e dedicação em tentar localizar informações sobre meus avós. Peço desculpas aos dois se em algum momento me interpretei mal. Em nenhum momento quis dizer que vocês tem obrigação em ajudar. É que achei estranho ninguém ter comentado nada no meu post, nem um "oi" Rs.

  • LeticialeleLeticialele Member, Moderator

    @guimoss , será que você consegue encontrar alguma pista no cepese?

  • Obrigado Leticia.

  • @Digfortes @Leticialele

    Ola, eu ja tinha olhado o seu caso, mas tb nao achei nenhum resultado direto.

    Sugiro que vc olhe os sobrenomes "gomes" e "roldão" em outras regioes.

    Vc pode buscar mp familysearch, seção imagens por concelho e freguesia.

    Um João gomes roldão em lisboa:

    "http://docvirt.com/Hotpage/Hotpage.aspx?bib=RealGabObrasRaras&pagfis=33809&url=http://docvirt.com/docreader.net#"

    O nome aparece em algum local desse documento.

    Tb tem esse local com o sobrenome "roldão"

    "https://nosportugueses.pt/pt/apelido/3251/roldao"

    Outro lugar:

    "https://www.ancestry.co.uk/search/collections/1030/?name=_Roldao"

    No google tem vários "gomes roldão". Vc pode entrar em contato com eles:

    "https://www.jusbrasil.com.br/processos/nome/238308552/lucas-tadeu-gomes-roldao?ref=topic-lawsuit"

    "https://www.jusbrasil.com.br/processos/nome/85025651/gabriela-gomes-roldao-da-silva"

  • Bom dia, Guimoss! Tudo bem?

    Eu tinha localizado essa informação no "nós portugueses" mas meu acesso encerrou. Será que poderia me ajudar a conseguir esse assento de casamento? Vai que é esse!?

    c. 1885 APELIDO José Gomes

    Casamentos 1. Ribeira Brava, Ribeira Brava, 1906, com c. 21 anos Alexandrina de Jesus * c. 1885

    Informação sobre Casamentos 1. Ribeira Brava, Ribeira Brava, 00.00.1906, Livro 7148 A, Folio 19

    Moradas Ilha da Madeira, Ribeira Brava, 1906, 1 registos:  

    Eu só não entendi uma coisa: O que seria "mp" familysearch ?

    Desde já, agradeço muito pela sua colaboração. Aliás, de todos no Fórum!!!

  • LeticialeleLeticialele Member, Moderator

    @Digfortes , o certidão de casamento está em

    "https://arquivo-abm.madeira.gov.pt/viewer?id=50222&FileID=1115601" figuras 40 e 41

    Infelizmente, não creio que sejam eles, não aparece "Roldão" em local algum

  • Olá Letícia, boa noite.

    Pelo Batismo da Alexandrina não é possível localizar o registro de nascimento dela?

  • LeticialeleLeticialele Member, Moderator
    editado January 8

    @Digfortes , eu procurei em Socorro

    "https://tombo.pt/f/lsb53"

    Procurei o José Agostinho em Anjos

    "https://tombo.pt/f/lsb06"

    Deve ter que ampliar a busca, nos registros dos anos mencionados não encontrei,

    Pode ser que você tenha mais tempo e mais sorte que eu!

    A certidão de casamento é do João Gomes Roldão com a Maria do Nascimento Garcia Coelho, em 2 de fevereiro de 1885.

  • Oi Letícia, boa tarde.

    Poderia por favor, me tirar algumas dúvidas:

    No meu caso, vou precisar juntar no processo de Cidadania somente o "batismo de nascimento" do meu avô José Agostinho, pois como ele foi o declarante na certidão de nascimento do meu pai, entendo que não haverá a necessidade de juntar a "certidão de nascimento ou de batismo" da minha avó (Alexandrina), muito menos, ter que transcrever o casamento deles em Portugal, procede ? Na verdade, esse batismo da Alexandrina era só para ajudar na localização do batismos do meu avo, certo?

    Você pode confirmar se a certidão de casamento do João Gomes Roldão com a Maria do Nascimento Garcia Coelho, em 2 de fevereiro de 1885 e o batismo da Alexandrina são deles mesmo? Só para eu ter certeza.

    Muito obrigado.


  • LeticialeleLeticialele Member, Moderator

    @Digfortes , a certidão de casamento que você havia postado antes era do João Gomes Roldão com Maria do Nascimento Garcia Coelho, na Freguesia de Anjos, Lisboa, em 12 de fevereiro de 1885.

    Esta certidão que você postou agora é a de nascimento do Manoel Antonino, filho do José Agostinho , neto do João Gomes Roldão

    Você precisa da certidão de batismo do José Agostinho Gomes Rodão.

    A certidão de batismo da Alexandrina você já tem.

  • Letícia, isso mesmo! Essa certidão de casamento dos meus bisavós (José Gomes Roldan e Maria do Nascimento Garcia Coelho), foi localizada pelo Kleber.

    Postei a certidão de nascimento do meu pai para saber se vou precisar transcrever o casamento dos meus avós em Portugal, pois segundo uma advogada, pela forma que foi declarado o nascimento do meu pai na certidão não haveria a necessidade de transcrever o casamento deles, isso confere? Se realmente tiver que fazer a transcrição do casamento vou precisar juntar no processo a "certidão de batismo" da minha avó (Alexandrina), a certidão de batismo do meu avô (José Agostinho) e a certidão de casamento ?

    Eu sei que preciso da certidão de batismo do meu avô que por sinal está muito difícil de localizar. Pelo menos, já tenho a certidão de batismo da minha avó Alexandrina.

  • LeticialeleLeticialele Member, Moderator

    @Digfortes , embora esta não seja a posição oficial do Fórum, EU entendo que a transcrição do casamento do José Agostinho com a Alexandrina não é necessária. Concordo com a advogada que você consultou - seu avô foi o declarante do nascimento do seu pai antes que ele tivesse completado um ano de vida.

  • Oi Letícia, boa noite.

    Mesmo os dois sendo portugueses e talvez casados aqui no Brasil? Seria bom se tivesse como confirmar essa informação para ter uma posição exata. Porque se eu tiver que juntar "apenas" o batismo do meu avô José Agostinho facilitaria e muito o processo de Cidadania.

  • gandalfgandalf Member
    editado January 10

    @Digfortes

    A regra de ser obrigatória a transcrição é explícita na lei para filhos (1C), mas a lei é vaga quando se trata de netos (1D).

    Para filhos seria obrigatório se ambos os pais são portugueses, casados no BR. Para netos, eu entendo que a mesma regra se aplicaria.

    Mesmo se fosse somente o pai português e declarante antes de 1 ano, (e acho que é isso que a Leticialele tinha em mente), há dúvida se os conservadores aceitam a dispensa de transcrição na CRCentrais em Lisboa. Eu todas as outras conservatórias já sabemos que dispensariam, mas em Lisboa, onde são feitos os netos e outros casos mais complexos, é provável que sim mas ainda não confirmado.

    Para netos, sendo os dois avós portugueses, casados no BR, as chances de conseguir sem transcrição ainda existem, mas ficam menores.

    Isso de pedirem transcrição não é sim/não nesses casos. A palavra final é do conservador, e pelos relatos há uma pequena chance de aceitarem (25%). A recomendação do fórum tende a ser mais conservadora, no sentido de evitar a exigência se for possível. Mas não é o fim do mundo. Custa uma remessa extra (€40 de DHL). Mas quase sempre tem solução para remediar.

  • Olá Gandalf, boa tarde.

    Concordo com a posição do Fórum de fechar as arestas para não deixar dúvidas no processo, mas queria acreditar na posição da Letícia. É que no meu caso está muito complicado localizar o batismo do meu avô e o casamento deles. Seria ótimo se não tivesse essa exigência.

    Então é só o CRCentrais em Lisboa que recepciona os processos de Netos?

    Não entendi quando disse que não é o fim do mundo. Custa uma remessa extra (€40 de DHL).

    Nesse caso, qual seria a solução para remediar???

    Obrigado.

  • gandalfgandalf Member
    editado January 11

    @Digfortes

    Somente a CRCentrais de Lisboa faz processos de netos por enquanto. Pode ser que mude no futuro.

    Deixe eu tentar explicar melhor: Quando eu disse que uma exigência não é o fim do mundo, quis dizer que se você arriscar sem a transcrição e houver exigência dela, não é o fim do mundo. Basta obter os documentos, fazer a transcrição e mandar, e o processo segue. Mas para fazer isso tem que mandar o novo documento da transcrição, e isso custa uma remessa extra pela DHL (€40).

    Quer dizer: arriscou e deu errado? Basta remediar, mandando o documento depois. Vai ter esse custo extra, e atrasar o processo, mas nada que não se resolva com tempo e algum dinheiro.

    Eu tentei responder a sua pergunta: Mesmo os dois sendo portugueses e talvez casados aqui no Brasil?

    Isso é um complicante. Nesse caso, sendo os dois portugueses, teria que ter a transcrição se fosse pedindo como filho. Como neto não sabemos. Não sabemos com certeza se a CRCentrais dispensa a transcrição dos avós nem nos casos que outras conservatórias dispensam (o pai português sendo o declarante, antes de 1 ano, e a mãe brasileira).

    Teria que transcrever pra ter certeza, ou então arriscar e ver se pedem. Se pedirem cai no caso acima: tem que remediar, e tem prazo para fazer a transcrição, o que aumenta a pressão.

    Para ficar tranquilo, deveria ter a transcrição. Aí se livra de problemas. Sem transcrição existe sim um risco grande de ter exigência. Mas essa exigência só viria daqui a um ano. Então pode iniciar o processo, e use esse tempo para tentar fazer a transcrição sem pressão. Se antecipe, e quando olharem na tela do computador (daqui a um ano) já estará feita, e o processo segue sem problemas.

  • Gandalf, bom dia.

    Entendi. Realmente é um risco muito grande tentar sem a transcrição. Vai que inicio todo o processo e no decorrer do processo eu não localizo o registro de casamento. Já era!

    Na pior das hipóteses, se eu não localizar o registro de casamento dos meus avós, ainda é possível fazer a transcrição apenas com os prontuários de imigrantes e com a certidão de batismo da minha avó? Ou não existe a possibilidade de transcrição sem esses documentos?

    Muito obrigado pela ajuda.

  • @Digfortes

    Quando for responder, ponha um @ antes do nome, e clique para selecionar. Assim ele manda uma notificação.

    Eu acho arriscado mandar os documentos sem ter pelo menos como conseguir as certidões para a transcrição. Apesar que a lista de documentos do IRN não menciona a transcrição para netos, e menciona explicitamente para filhos.

    A função da transcrição é garantir uma certa etapa de normalidade do casamento feito no exterior, e eliminar dúvidas. Se houver dúvidas, o conservador sempre pode exigir. Então depende da interpretação dele.

    Eu não saberia quantificar quão grande é o % desse risco.

    Se for fazer sem a transcrição, tente localizar antes os documentos que precisaria, para que no caso de uma exigência, você sabe onde buscar.

    O documento tem que ser 1) a certidão de casamento, 2) o assento ou certidão de batismo do cônjuge português. (no seu caso ambos são portugueses, então isso vale pros dois). Se fosse o caso, teria que ter 3) a certidão em inteiro teor do cônjuge brasileiro. Não servem outros documentos.

  • @gandalf Não sabia disso! Rs

    Muito obrigado pelas informações e direcionamento. Estou torcendo para terem se casado em Portugal, assim vou poder pular essa fase, juntando apenas o batismo de ambos os portugueses, a certidão de nascimento inteiro teor do meu pai brasileiro e a comprovação do conhecimento da língua portuguesa. Precisaria muito descobrir essa informação sobre o casamento deles, seria de grande valia.

    • (eu) neto - (pai) brasileiro - (avô/avó ) portugueses. Sendo que o meu avô foi o declarante do nascimento do meu pai.
  • gandalfgandalf Member
    editado January 16

    @Digfortes

    Não precisa comprovação do conhecimento da língua que é presumido para brasileiros. Não tem que mandar nada.

    Acaso seu pai já é falecido?

    Se seu pai estiver vivo, deveria fazer a nacionalidade do seu pai, e depois fazer a sua. Ambas como filho por art-1C. 6 meses cada.

    Se quiser insistir em fazer como neto, você pode arriscar mandar o assento do avô para fazer a nacionalidade por ele. Juntar a certidão inteiro teor de seu pai e a sua reprográfica. Se houver exigência de transcrição, você lida com ela depois. São 2 anos, se não tiver exigência.

  • Olá, @gandalf !

    Então não tenho outra escolha, vou ter que fazer o processo como Neto mesmo! No caso, meu pai era (brasileiro) já falecido, e não requereu a cidadania quando vivo. Mas isso, só quando achar o registro/batismo de nascimento dele, que por sinal está muito difícil de localizar.

    A localização pelo Kleber do batismo da minha avó, foi de grande valia, mas por enquanto não ai dar para aproveitar no processo, né? Somente no momento da transcrição, do casamento, se necessário, não é?

    Me diz uma coisa, independente da presunção do conhecimento da língua não é preciso juntar nenhum comprovante, como um diploma de conclusão de curso?

    Se meus avós a época não registraram o casamento. O que é possível fazer para comprovar a união no momento que eu tiver que fazer a transcrição do casamento deles? Lembrando que, tanto nos meus documentos de nascimento quanto no do meu pai, ela consta como legítima esposa e nos prontuários de imigrantes de ambos, consta que um era casado e o outro era viúvo.

    Muito obrigado.

Entre ou Registre-se para fazer um comentário.