Certidão do filho do Português, brasileiro, sem nome dos avós portugueses.

jvtorresjvtorres Member

Boa noite, pessoa. Tudo bem?

Sou João Vitor Torres. Sou trineto de Português. 

Minha avó sempre quis tirar cidadania, mas vários problemas nesse meio tempo impediram. Mas ela possui os vínculos necessários.

Nas pesquisas agora, ja que ela quer ir fazer um tratamento em Portugal com um médico que promete recuperar a visão em pacientes com pouca chance, percebi alguns entraves:

Pedi a certidão de nascimento de minha avó, que constava o nome do seu avô Português. José Antonio Monteiro Torres. E nas histórias familiares sempre soube que ele veio com seu irmão ao Brasil, em 1870, Manoel José

Pedi a certidão de nascimento do pai de minha avó, na esperança de ter o nome dos avós. Não tinha. O Português registrou todos os seis filhos sem o nome dos avós portugueses. Então decidi pedir no arquivo nacional e não achei.

Foi quando me deram a ideia de procurar no digigov. Achei um processo de um casal, procurando seus dois filhos, Jose Antonio e Manoel Jose, que haviam vindo para o Brasil e não deram mais notícias. No casamento de José Antonio também não consta o nome dos pais (Ideia de que tenha vindo fugido com seu irmão, com 12 e 11 anos)

Com esse digigov consegui achar a certidão de nascimento dele. Mas como posso fazer para comprovar que é o mesmo Jose Antonio? Como poderia fazer para mostrar que se tratam da mesma pessoa?

O texto ficou longo, mas gostaria que pudessem muito me ajudar.

Obrigado!

(Havia colocado no tópico errado)

Comentários

  • Em qual distrito português ele nasceu? Já tentou achar o pedido de passaporte dele e do irmão no distrito de nascimento?

  • jvtorresjvtorres Member

    Oi, Paulo. Eles nasceram em Ruivães, Vila Nova de Famalicão. Braga/Portugal.

    Procurei e não há esse pedido, podendo ser hipótese de terem vindo escondido mesmo em 1870 (primeiro relato).

    Achei o nome deles no digigov e o assento de batismo somente.

  • No registro de casamento tem data de nascimento ou idade José Antônio onde se possa estabelecer um vínculo com o registro de batismo?

    Os sobrenomes dos pais no registro de batismo correspondem ao que ele usou para o casamento?

    Caso afirmativo sugiro tentar a transcrição do casamento em Ponta Delgada como forma de consolidação da documentação.

  • jvtorresjvtorres Member

    No registro de casamento não tem.

    Os sobrenomes que ele usou são os mesmos da família e os mesmos que encontrei no digigov. E os mesmos usados pelos irmãos e primos da mesma árvore.

    Vou tentar continuar as buscar tentando achar algo que mostre idade ou data de nascimento.

    Obrigado, Paulo.

  • No registro de óbito deve ter.

  • Na pesquisa que realizei em busca de publicar a árvore genealógica de minha família, sou neto de português, muitas vezes tive que ir a sepultura de irmãos de meu avô para saber a data de nascimento deles e das esposas.

  • jvtorresjvtorres Member

    Pois é, Paulo. Moro em Serra Talhada/PE. Ele faleceu numa fazenda chamada Escadinha, que foi inundada pela barragem de Serrinha. Por isso pedi o referencial das sepulturas. Estou totalmente dependente do Cartório e da Igreja, ambos não tem os registros de igreja e cartório no Family Search. Mas já fiz a solicitação ao cartório e a paróquia (ambos me falaram que tem registros de óbitos nas datas que penso que ele faleceu).

    Nasceu em 1856. Último registro documental que tenho dele é de 1919 (assumiu um cargo na educação da cidade e saiu no jornal seu nome).

    Então as datas não são tão distantes.

  • jvtorresjvtorres Member

    Paulo. Boa tarde!

    Achei um processo antigo no memória de justiça de Pernambuco que mostra que Jose Antonio (Meu trisavô) era irmão de Manoel José (usam até o mesmos sobrenomes e menciona a cidade), porém não diz idade.

    Caso eu não ache nada, acha que isso poderia servir como embasamento junto com digigov?

  • jvtorresjvtorres Member

    Quem puder ajudar. Será bem vindo!!

  • Uma estratégia que você poderia usar é tentar a transcrição do casamento de José Antônio na conservatória de Ponta Delgada. Caso seja aceita você terá um documento oficial português fazendo o vínculo dele com o registro de batismo e consequentemente com os pais e a data de nascimento. O processo de transcrição é relativamente rápido e dará a você uma resposta breve da sua possibilidade de pedir a cidadania.

  • jvtorresjvtorres Member

    Oi, Paulo. Ou quem mais conseguir me ajudar.

    Consegui achar o CASAMENTO COMPLETO DO PORTUGUES (Só havia achado a cópia em livro). O padre me deixou pesquisar e consegui.

    No casamento consta o nome dele bem correto, o nome dos pais, o nome da nubente e dos pais, bem corretos.

    So há uma coisa equivocada. Ele cassou em 23 janeiro de 1882 (tendo assim 26 anos recém completos) e o padre colocou 25 anos na época, será que dá algum problema?

  • jvtorresjvtorres Member

    Olá, pessoal. Alguém sabe se terá algum problema?

    O registro de casamento estão todos os nomes perfeitos, só o nubente que acabara de completar 26 anos (casamento 23 janeiro e aniversário dia 03 de janeiro) e ficou como 25 anos...

  • Daniel HenriquesDaniel Henriques Member, Moderator

    @jvtorres, essa divergência não deve ter problema pois é muito comum esses erros em certidões antigas. Você vai fazer a transcrição por onde?

    Quando transcrevi o casamento de minha mãe a atendente (fiz no consulado) a atendente me disse que não haveria problema em uma divergência de 3 anos no ano de nascimento na certidão de casamento. Ela me falou isso antes de ver que já havia averbada essa retificação. O caso foi um erro no livro de registro que ela descobriu apenas quando se divorciou pois a certidão original do casamento estava com o ano de nascimento correto mas, no livro de registro, foi grafado o ano errado. Ela teve que entrar com ação judicial para retificar o registro pois, na época, não era feita retificação por via administrativa.

  • jvtorresjvtorres Member

    Não sei. Penso em fazer em Recife mesmo, onde moro! Tem essa possibilidade?

  • Recomendo fazer também o registro do óbito que é gratuito. Desta forma você consolida a documentação.

  • jvtorresjvtorres Member

    Oi, Paulo. Até agora não tenho o registro de óbito dele.

    Como posso fazer para registrar o óbito? O cartório me deu uma negativa dizendo que não tem.

    Na paróquia não existe nada também para o ano de 1933, que é quando a gente "acha"que ele faleceu.

    Tenho somente o batismo, casamento. Como fazer com o óbito?

  • jvtorresjvtorres Member

    Oi, Paulo e Daniel. Não consegui encontrar o óbito. Fui ao cartório, pesquisei junto a cartorária e nada. Ja revirei tudo do familysearch e nada. Alguma outra possibilidade?

  • Se teve algum bem deve haver um processo de partilha da herança arquivado com a certidão de óbito. Se não houve bens a partilhar não tenho mais pistas a ser investigada.

Entre ou Registre-se para fazer um comentário.